Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

COMI A ENFERMEIRA NO QUARTO DO MEU AVô

Para começar o meu apelido é Brad, tenho 24 anos, 1,73 e sou moreno claro de olhos verdes.

Tudo começou quando o meu avô ficou internado por causa de um câncer de pulmão. Minha família sempre deixava uma pessoa no quarto com ele, faziam um tipo de rodízio e eu não participava, por dois motivos, primeiro que o hospital fica relativamente longe e segundo, porque eu não queria mesmo. Um dia percebi que minha mãe estava muito cansada e resolvi passar a noite com o coroa. Cheguei lá por volta das 19:30hs de um sábado, rendi a minha tia e fique sozinho no quarto com ele, enquanto ele estava lúcido conversamos um pouco, mas logo depois entrou uma enfermeira linda, 25 anos, loira e apesar de meio magrinha, muito linda e carismática. Disse que conversava muito com meu avô e lhe deu um remédio que o ajudaria a dormir. Passando alguns minutos, ele apagou desci do 7° andar que era onde estava internado e fui fumar um cigarro fora do hospital, pois não podia fumar nas dependências. Sentei no banco sozinho, foi quando chegou a Roberta a tal enfermeira, começamos a conversar e nos demos muito bem, aparentemente era sá uma conversa já que eu sou meio tapado. Ela disse que não conseguia se acostumar com o turno da noite pois era muito parado, segundo ela, não tinha muita dificuldade, pois o 7° andar era reservado aos idosos e todos tomavam remédio para dormir, e quase todos ficam sem companhia. Subimos e ficamos conversando na recepção do 7° andar. Conversa vai, conversa vem até que começamos a flertar. Flertar não, ela ria muito era muito descontraída e isso me deixava um pouco na defensiva, pois já tinha passado por várias ocasiões onde eu pensava uma coisa e era totalmente outra. A conversa fluía como se já nos conhecêssemos á anos, e isso facilitou a pergunta.

- Poxa, a gente podia sair para fazer alguma coisa amanhã né? Afinal era domingo.

- Hum... eu trabalho amanhã a noite também, mais se você quiser a gente marca um outro dia.

- pode ser então, deixa o seu telefone comigo.

Foi ai que a resposta dela me deu mais forças.

-Tá, mais liga mesmo, eu gostei muito de você, e faz tempo que não saio com ninguém!

Essa resposta me levou a uma dedução. Bom, ela não sai com ninguém e eu moro longe e é bem capaz de eu nunca mais volta aqui. Pensei: sabe de uma coisa, vou tentar alguma coisa aqui mesmo...

Perguntei se tinha câmeras no hospital e se alguém poderia ver a gente. Ela disse que sim, mais sá em alguns pontos estratégicos, como, na recepção.

Me levou então, um pouco mais para o lado, uns cinco metros apenas e disse:

- Aqui ninguém vê a gente, ta vendo aquela câmera? Pois é, sá filma até ali... ta vendo aquela outra? Então, ela sá filma até ali...

Eu já não me aguentando perguntei:

- Então se eu te der um beijo aqui ninguém vai ver??? Para minha surpresa ela respondeu:

- Isso mesmo!

Por alguns segundos fiquei paralisado, perguntando para mim mesmo se aquela loira linda estava mesmo afim de mim.

Não poderia fazer outra coisa a não ser beija-la como louco. Foi quando ela interrompeu e disse.

- Já esta bom, eu tenho que fazer a ronda depois a gente continua conversando...

Pensei: O QUÊ????? Fui ao quarto do meu avô e a esperei ela passar no quarto para fazer a ronda.

Dado uns minutos ela apareceu e disse:

- Ué, você esta ai? Não vai mais conversar comigo???

Olhei para o meu avô, olhei para ela, olhei para o banheiro (Podem acreditar o banheiro era bem grande) e disse:

- Eu estou com vontade de fumar!

Ela: - Eu também, quer ir lá embaixo?

Eu: - Lá embaixo? Vamos fumar no banheiro depois eu espirro alguma coisa lá!

Ela: - Mesmo assim vai ficar o cheiro...

Eu: - Vai nada, minha tia fuma ai e ninguém nunca percebeu (Mentira deslavada).

Ela: - Ta, mais Oh, sem palhaçada!

Nessa hora eu pensei: Sem Palhaçada??? sem palhaçada tudo bem, mais com muita sacanagem!

Entramos no banheiro e fechamos a porta, ela ficou de pé e pegou um cigarro meu, foi quando eu perguntei:

- você não que deixar para fumar depois? Já que estamos aqui vamos namorar um pouco (Já me aproximando e colocando as minhas mãos em volta de sua cintura).

Ela fechou os olhos como se estivesse pensando e jogou o cabelo para trás, abriu os olhos e deu um sorriso que era a coisa mais linda, colocou os braços em volta ao meu pescoço e começamos a dar uns beijos. Nessa hora a minha mão já descia pelas suas pernas e delicadamente já se encontrava com sua apesar de magra, linda bundinha. Nessa hora ela já estava entregue (Pode acreditar ela se entrega rápido). Sua respiração ofegante me deixava cada vez mais louco, meu pau quase saia pela calça (não que ele seja grande, é que minha calça era velha mesmo), tirei o seu jaleco e comecei a levantar a sua blusa, e não é que os seus seios eram maiores que a bundinha (Parecia aquelas mulheres americanas). Comecei a morder e lamber em volta do seu biquinho lindo, tirei minha camisa pois ela disse que seria a vez dela. Ela começou a lamber o meu corpo até chegar na calça (Pois é, eu pensei a mesma coisa que você. Mas eu estava de calça ainda), ela tirou o meu tênis, minha calça e cueca em seguida já mandando ver numa gostosa chupada. Depois de alguns minutos maravilhosos a levantei e abaixei na frente dela, tirando delicadamente a sua calça, e sua calcinha em seguida, coloquei uma de suas pernas em meu ombro e comecei a chupa-la (Pode ser inacreditável, mais ela tinha uma buceta doce, eu nunca tinha sentido chupado uma buceta doce). Ainda abaixado fiz ela virar de costas, abrindo a sua bundinha e lanbendo a sua buceta e chegando até o cuzinho. Levantei e a coloquei em cima da pia (pode não ser o mais apropriado, mais o hospital era limpinho). Penetrei o meu pau devagarzinho na sua buceta, ela como não podia gritar, respirava cada vez mais forte e isso me dava até arrepios, aquele barulho me deixava completamente maluco... ela me agarrava e me arranhava e eu empurrava cada vez mais forte. Virei ela de costas e comi a sua buceta por trás, nossa! Aquela bundinha apesar de pequena era a coisa mais linda, com o que eu já havia me deparado. Ela se inclinou na pia e por mais gelada que a pia estivesse ela conseguia colocar as duas mãos para trás e abrir a bundinha. Eu ia cada vez mais forte já estava para gozar e tive um pressentimento doido e resolvi falar baixinho no ouvido dela: - Vou gozar. Ela pediu para esperar um pouco que ela estava quase lá (Até hoje me pergunto como eu consegui me segurar). Quando ela começou a se contorcer, percebi que ela tinta gozado, ela me empurrou para trás e disse: - não goza dentro não... eu dei mais algumas poucas bombadas e tirei rapidamente, quase não dando tempo gozando na sua buceta, sá que por fora. Ela ainda um pouco ofegante olhava dentro dos meus olhos e sorria lindamente... nos lavamos e descemos para fumar o cigarro. Conversamos até de manhã. Ás 08:00hs ela foi embora e me deixou o seu telefone, me encontro com ela até hoje, já que esse conto (verídico, diga-se de passagem) foi bem recentemente.

Moral da histária: Trate bem seu avô, pois um dia ele vai para o hospital!!!

Abraços e até a práxima.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos traindo o marido no onibusquero ver um vídeo de graça de graça rouba pica bem grossa dentro da b***** entrando bem devagarzinho b************contos eróticos de irmãosconto coni cu prima fotocontos xupo pau desde novinhofudendo com a benga do vovô contosporno de tia cabelo cachaedo loira meia idade peluda com sobrinhoTennis zelenogradbucetad em transemeu marido comeu minha amiga gostosamais que irmaos contos eróticos virgensconto flagrei meu marido dando para um garoto de programaconto erotico com o velho padrinhorelato erotico meu filho gosa nas calcinha minhaseu tenho 22 anos de idade minha tia linda e gostosa ela e separada do seu ex marido minha tia ela me convidou pra eu ir viajar sozinho com ela pro litoral no final de semana eu e minha tia fomos sozinhos no seu carro pro litoral eu e minha tia fomos pra um hotel minha tia disse pra mim meu sobrinho vamos pra praia eu disse pra ela vamos tia pra praia minha tia foi pro banheiro ela saiu do banheiro com um biquíni fio dental eu disse pra ela tia você e linda de biquíni eu fui com ela pra praia minha tia disse pra mim pra eu passar bronzeado nela eu comecei a pensar bronzeado nela eu e minha tia fomos embora da praia pro hotel minha tia disse pra mim pra eu ir tomar meu banho primeiro no banheiro eu fui pro banheiro toma meu banho eu sair do banheiro minha tia foi pro banheiro toma seu banho eu fiquei deitado na cama minha tia ela saiu do banheiro enrolada numa toalha minha tia tirou sua toalha na minha frente ela ficou nua ela deitou na cama ela me deu um beijo na minha boca ela disse pra mim meu sobrinho fode minha buceta eu chupei seu peito eu disse pra ela tia sua buceta raspadinha e linda eu comecei a chupar sua buceta ela gozo na minha boca ela pegou no meu pau ela disse pra mim sobrinho você tem um pauzao ela chupou meu pau eu comecei a fuder sua buceta ela gemia no meu pau eu fundendo sua buceta ela gozo ela disse pra mim meu sobrinho fode meu cu conto eróticocontos eróticos de homens que finge ser gay para comer as xaninhascontoseroticosdeincesto/irmaoeirmaa ninfetinha levou rola e gozada do parente dentro da vaginha contosmulher que tem bezerro na bucetaicontos eroticos, vanuzacontos.porno fui dar banho na minha filhinha e acabei enfiando o sabonte no cuzinho delaAguentei a rola enorme do papai contos eróticospinto cabecudo contosconto vendedor comendo coroa casada em sua casaconto erotico negra a cabou com a buceta na siririca regasou a bucetapego teu pau e coloco no meu cuzinhoMEU MARIDO E MEU FILHO DERAM O CU PRO MEU AMANTEcontos eroticos eu e a minha filha somos putaa lenda do negao que morava no mato comia cu de meninoConto erotico gay Fazenda famikiaconto erotico mae empresta lingerieminha noiva me corneo contocontos eroticos esposas dogadaminha mae da para um velho pirocudo espiei ela contosContos erotico marido corno bebedor de porracontos eroticos outro pou de presente para minha mulhercontos erotico esposa na festaContos: namorada safadaContos erotico sem querer trepei com a cunhada na chacara dela,,,patroascontossexo que jamais imaginei contoscontos eróticos de bebados e drogados gaysa certinha e o zelador contoConto erotivo estupro veridicoconto no mato espiando a filha tomar banho no riuconto erotico feinhaconto erotico sou casada e adoro me exibirconto erotico o soldado arrombou minha buceta voyer mae dando pra dois meninos contos eroticosporno papai flagra bebumcontos do sexo menina mimadaContos eroticos carente freiracontos eroticos tirando a virgendade da amiga de escolacontos casada vai a festa de faculdade e se da malde verdade o que injetam ou introduzem para aumenta bumbum e seiossou crente casada mais sou putacontos em um assalto vorou suruba"mãe virgem no ânus fez anal pela primeira vez com o filho relatos eróticos"relatos verídicos de aventuras eróticas com mendigocontos erótico putinha de zonacontos eroticos dainfanciaconto minha esposa experimentando bikinis na frente do paiConto erótico comendo cuzao da mãe e filha bunda grande Deusa mulata levando pica branca na bucetaContos de leitores reais swingcontos eróticos de menina transando com o tio bonzinhocontos eroticospica grossa rasgando bucetaContos minha mulher mandando eu engolir porraRelatos eroticos de professoras casadas brancas que foram usadas por alunos negroscontos eroticos lesbicas vi a buceta da minha amiga grande e greludaconto eróticos menina pobrecontos eroticos sou viuva tenho um sobrinho novinhoconto erotico enfiou vela acesa na minha bucetaNegao toca punheta olhando minha espozacontos eroticos/narrafos safadod/gemidosconto erotico atres d casada mg moteljovem donselo fode a mamaicontos eroticos lutascasada chegar em casa com a calcinha preta ensopada de porraconto anal evangelica cavalonahomens velho gay contos