Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

FUI COMIDA POR UM CAVALO

Oi gente, meu nome é Sabrina, tenho 19 anos e sou do interior de São Paulo. Sou travesti iniciante, assumido e quero compartilhar com vocês uma coisa muito desagradável que aconteceu comigo semana passada. Marquei um encontro com um carinha, filhinho de papai com carro importado e muito dinheiro para gastar e achei que ele sabia que eu era travesti. No anúncio que coloquei no jornal prestando meus serviços, eu disse que era travesti. Jamais menti para ninguém sobre minha opção sexual.rn O cara me pegou no lugar combinado e me levou para um motel. Lá chegando, tomou todas e estava custando a falar. Depois de muito esperar, foi melhorando do fogo e foi logo me agarrando e beijando com toda brutalidade. Sou novinha, bonitinha, tenho um corpo muito certinho, 1,68 m de altura, morena clara, cabelos longos muito lisos e escuros, lábios carnudos, seios fartos e durinhos, uma cintura fininha, 98 cm de quadris, um bumbum empinadinho, malhadinho e carnudo e os lábios grossos e sensuais. Pareço uma mulher mesmo. A única coisa que eu não tenho de mulher é a vagina o resto sou uma mulher perfeita.rn Depois de me jogar com força na cama mandou que eu fizesse um boquete nele e mal comecei, já tinha gozado na minha boca. Achei aquilo estranho, mas como ele estava pagando, deixei rolar numa boa. Depois foi tirando minha roupa, mordeu e lambeu meus seios até ficarem doloridos e quando tirou minha calça e viu que eu não era mulher, me desferiu um tapa no rosto violentíssimo que cai de costas na cama sem conseguir levantar. rn Aos berros dizia que eu tinha feito de propásito para pegar o dinheiro dele, que ele estava ali para comer uma buceta e não sujar o pau com bosta de homem e coisas desse gênero. Tentei explicar que aquilo não era verdade e levei outro tapa do outro lado do rosto que voltei a cair na cama. Ele continuou me insultando de tudo quanto era jeito, disse que ia me arregaçar se eu contasse alguma coisa para os amigos dele e um mundo mais de asneiras. Humildemente, pedi desculpas e disse que ia embora e ele não precisava gastar o dinheiro com um cu sujo de bosta. Posso ser o que for, mas sou limpinha e jamais cliente nenhum reclamou da minha higiene.rn Depois de acalmar um pouco, mandou que eu tirasse o resto da roupa que ia transar comigo assim mesmo e não importava com o dinheiro. Fiz o que ele mandou e fiquei esperando pedir os serviços que ele desejasse, estava disposta a cumprir com as minhas obrigações.rn Sem paciência nenhuma, mandou que eu ficasse de quatro na cama, porque viado dá é o cu de quatro e sem preservativo sem nada deu umas estocadas no meu ânus que não estava lubrificado e sendo nova na profissão, senti uma dor insuportável, mas não podia reclamar de nada para não deixar ele mais nervoso.rn Mesmos sem o pênis entrar direito, gozou na minha bunda e com o esperma ele lubrificou o pênis e me penetrou pela segunda vez, desta vez com toda vontade e ádio que sentia. Estocava meu ânus com força que eu sentia muitas dores apesar de estar mais lubrificado do que a primeira vez. Gozou pela segunda vez e ao tirar o pênis no meu ânus mandou que eu chupasse até tirar o cheiro de bosta que tinha ficado. Como sabia que estava tudo limpo, fiz o que ele pediu e fui para o banheiro me trocar. Estava humilhada e desprezada naquele quarto e preferia ir embora a sujeitar aquele animal falando da minha higiene. rn Ao ver que eu estava saindo, me pegou pelos cabelos me jogando com força na cama e dizendo que não tinha terminado. Apesar de ser um traveco, eu tinha a bunda mais gostosa do que muitas mulheres que ele tinha comido. Voltou a me mandar ficar de quatro e desta vez fez com calma e gozou como queria aproveitando o meu físico que não perdia nada por mulher nenhuma.rn No final, pediu desculpas pela estupidez, alegou que estava bêbado e não sabia o que estava dizendo, me pagou dobrado pelos serviços e me convidou para voltar no dia seguinte sábrio e fazer novamente. Dei meu cartão para ele me ligar e combinar, vesti a roupa e quando estava saindo do quarto ele disse: ?boneca, sabia que essa sua bunda dá de 19 no rabo fedorento da minha namorada?? eu concordei com um gesto de cabeça, despedi e sai. Mesmo pagando o triplo, como este nunca mais.rn rn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos menino calcinhaconto gey o pai do meu amigo me chamou para viajar para um sitio para fodermos com onze omensconto herotico eu meuamigo sandado minha irmcontos a cunhada da primacontos velho nojentos no onibuscontos gay o drogado me estuprouvou contar como realizei minha voltade de trepar com dois e der duas rolas na bucetacontos eróticos-férias CarolCunhada dormindo com a bundinha descobertacontos eróticos empregada em jardineirascontis eroticos peguei minha esposa enfiando a buceta na cabeceira da camapoi ve a folha fundedo com o primo dentro de casaconto.minha esposa deu para 5O amigo do meu marido adora cherar minhas calcinhas contos reaisContos de mulheres que fizeram sexo com cavalocontos eroticos ajudando uma amiga e suas duas filhas adolecenteViadinho o que sentiu depois que deo o cuzinho contos eroticos depois viciouContos minha filha gemendo no pau do seu namorado e minha mulher se masturbandoraspada para surpresa do marido contoscontos eróticos do tio malvadoroubei sua esposa conto etoticoconto erotico comeu madrasta seios ggcontos eroticos advogadaconto porno pentelhos a mostrafreira sedutora conto eroticocontos erótico me rasgaram mo acampamento contos eròticos gay virou minha negavideos e contos reais de primo pegando primasexo contos eróticos verídicos na minha casaquero uma menina cabelos longos escuros deitada na piscinanamorado embreagou a namorada para foder o cuzinho delacontos de coroa com novinhomeu cu aberto e ardido de picaminha mae tava dando a buceta pro papai e fraguei contos eroticoscontos eroticos fui comida pelo meu inimigoele arreganhava minha bucetaminha tia e eu no banho. contos eroticoscontoeroticosenhorade frango assada recebendo lingua do gay safadoConto erotico a idosa q me fez gozar muitominha esposa deu pra um negro e virei corno na festa de são Joãocontos as gemeas putinhas seu papaiPorno cu pertAdo pagui umcasado dei rabo meu marido contosconto porno descrobri q minha mulher tinha.um cazo com o chefecontos eróticos dei buceta ao sobrinhoConto erótico sociedade secreta das lésbicasa trois com minha cunhada contos eroticos reais meu primo come minha esposaContos eroticos aonde o marido e a esposa são arrombados pelo pirocudo dentistassafadacontos eroticos na praiacontos eroticos surubasconto tio pedro arregacando cu da minhacontos eróticos online pai tarado e filinha devassacontos eroticos de marido sento gay forcadoenfiado a buceta na grafi de cama xvidiocontoeroticodonacasa conto erotico exibindo pro filhosexocontoerótico do paicontos eroticos me emrrabaram no escuro da barraca ao lado d maridoRenato shortinho coladinho fazendo na rolacontos feminino vacilei e me entregueisamba porno buceta com sujeiras brancasconto os peitos bicudos de maeMinha prima viu-me a mastucontos eroticos gay ainda menino virei putinha do velho me fazia de menininhavideos porno de contos eroticos anal lesbicos...coroas cavalas emsabuando travestiporno relatos veridicos atuaisconto negão arrombando branquinha casadinhacontos erotecos de esposa de espartilho no metroConto homosexuais de enteadosquero comer minha tia mais quando peguei no priquito ela tirou minha mao pqnegão mandou a rola com força no rabo da novinha se usa na cintura e não deixou escaparboa f*** mulher leva travesti para comer o maridocontos de hilhas putinhas pro paimeu filho compramos um computador batendo conto eróticocontos eróticos da viuvinha peludatanga contos eróticosconto erótico de corno chupador de arrombadaDía de lacinho nada bunda gay xxvideogostosa com sainha rodadinha e muito curta e homem passando a mão na buceta delaamava bater punheta no pique escondecontos eroticos com escravas sendo humilhadacontos eróticos [email protected]Menina da pracinha, conto