Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

TROQUEI MINHA MULHER POR UMA LINDA TRAVESTI

Olá, me chamo Ricky e esse conto é uma continuação do conto "Reseolvi dar o rabo para uma travesti", que narra como conheci Ângela e como ela tirou a virgindade do meu rabo. Continuando o meu relato, passei o dia todo pensando naquela linda mulher transgênera que havia me "introduzido" ao mundo da completa satisfação sexual e se não fosse o incômodo no cú, eu não acreditaria que tudo aquilo realmente havia acontecido. De vez em quando, ia até o banheiro e batia uma punheta pensando naquela gata maravilhosa. Na quarta gozada não me contive e liguei para ela.rn- Alô - Disse Ângela.rn- Oi gata, sou eu, o Ricky da noite passada, tudo bem?rn- Oi gatinho! - Ela falou, com sorrisinho. - Já está com saudade?rnFiquei meio atrapalhado com o comentário e não soube o que responder e fiquei calado.rn- Tô brincando, gatinho. Estava pensando em você agora mesmo. - Disse ela, me acabando com o silêncio constrangedor. - Acho que é transmissão de pensamento.rnÉ claro que ela deve dizer isso para todos os seus clientes, pensei, mas não posso negar que aquela palavras me deixaram muito feliz. rn- Sá liguei para te agradecer mais uma vez por tudo e para te dizer que estou louco para repetir a dose.rn- Olha sá, hoje não vai dar, porque é minha folga e eu não estou na cidade. - O tom de voz dela era tão carinhoso, que eu acreditei que ela ficou triste em não poder me ver.rn- Depois do prazer que você me proporcionou ontem a noite, você merece um bom descanso! - Fiquei um pouco decepcionado, mas tinha que concordar que era cedo demais. Além disso, apesar de ser garota de programa, ela não era de ferro.rn- Como você me pagou dobrado, eu resolvi vir visitar minha família. - Ela fez uma pausa, e passou a susurrar. - Mas não pense que eu não quero sair com você, meu lindo. Eu realmente estou fora da cidade, se eu estivesse aí, você estaria fodido! - Até o palavrão soava doce na voz dela.rn- Depois de ontem, eu acredito em você, princesa! Você fodeu meu corpo, roubou meu coração e agora eu é que sou seu para você fazer o que quiser comigo. - Eu nem acreditava no que estava dizendo, mas as palavras saiam sem pensar. - Para te provar, vou fazer o seguinte: Te pago agora, mas a gente sá sai no dia que você puder e quiser.rn- Nossa, gato. Você faria isso por mim? Não brinca assim comigo que eu me apaixono. Puta também tem sentimento.rn- Você não imagina o que eu faria por você, gatinha! - Eu estava me achando ridículo, me declarando para uma travesti que fazia programa, mas era mais forte do que eu.rn- Aí, meu Deus! - fez uma pausa, como se estivesse pensando. - Tá bom! Eu aceito. - Ela falava com uma voz manhosa, como se fôssemos namoradinhos adolescentes. - Olha sá, eu sá vou aceitar porque realmente gostei muito de você, mas te prometo que vou recompensar, gatinho. - Ouvi uma voz feminina abafada a chamando - Desculpa, gato, mas tenho que desligar. Sá que tem uma coisinha que quero te dizer: - Ela voltou a sussurar. - Eu prefiro o outro nome. Ele combina mais comigo!rn- Qual? - Perguntei, já sabendo a resposta. - Cadelinha?rn- Au-au. - Ela respondeu, quase gemendo.rnEla me passou o número da conta e eu fiz a transferência na mesma hora, pensando que sá aquele bate-papo já valia os mil reais adiantandos. rnFui dormir em um hotel, pois nem pensava em voltar para casa. Estava muito cansado então fui me deitar sem jantar, mas quando consegui pegar no sono, recebo uma ligação da minha esposa. Era estranho falar com ela depois de tudo, mas tentei não transparecer. Perguntei como ela e as crianças estavam e ela disse que estavam bem, mas que TODOS ELES sentiam falta de mim. Me pediu para ir para casa, pois precisávamos conversar, mas eu recusei. Falei que naquele dia precisaria dormir, pois teria que trabalhar cedo, mas que poderíamos conversar na noite seguinte, que seria uma sexta-feira, em um Shopping famoso. Ela perguntou se eu pretendia voltar para casa e eu respondi que "Ainda não". Desliguei o telefone e de tão cansado, logo adormeci.rnNo dia seguinte, no local marcado, lá estava minha esposa, com um vestinho sensual e bem perfumada, do jeitnho que ela sabe que me agrada. Infelizmente para ela, depois da Ângela, nada daquilo faria diferença. Como não gosto de rodeios, fui direto ao assunto: disse que precisava de um tempo, que nossa relação estava desgastada e que seria melhor se nos separássemos. Ela ficou em silêncio por alguns segundos e, quando achei que finalmente diria alguma coisa, meu telefone tocou.rn- Oi gatinho, estou pronta para pagar a minha dívida com você! - Era a Ângela.rn- Isso é inesperado! - Respondi usando um tom formal, para minha esposa não disconfiar. - Não pensei que aconteceria assim tão cedo!rn- Nossa gatinho, assim você acaba comigo. - Quase podia vê-la fazendo biquinho. - Eu ligo para você em plena sexta à noite e você me dispensa? Achei que eu fosse especial!rn- Não falei que não poderia comparecer, Dona Ângela. Apenas fui surpreendido pela breviedade da convocação. - Eu estava suando frio. - Essa oportunidade é muito importante para mim e não pretendo desperdiçá-la.rn- Você está acompanhado, né safado? - Ângela entendeu tudo. - É a sua esposa, não é cachorro? E pensar que eu, boba, peguei o dinheiro que você me deu e reservei um chalé nesse final de semana em uma praia tranquila sá para nás dois. Homem é tudo igual mesmo! - E desligou o telefone.rnrnPara não dar bandeira, continuei a conversa como se estivesse falando com alguém do trabalho e dei a entender que teria que fazer uma viagem de negácios naquele final de semana. Desliguei a ligação falsa e minha esposa, que já tinha entendido o recado, disse, com uma expressão irritada que eu já conhecia bem, que conversaríamos na segunda e foi embora. Em outros tempos eu iria atrás dela, mas naquele momento tudo que eu pensava era em ligar para a Ângela e me desculpar por não atendê-la como ela merecia. Liguei mas caiu na caixa postal, então resolvi ir direto ao apartamento dela. Toquei o interfone e ela atendeu:rn- Sim. - Falou, acho que já advinhando que era eu.rn- Estou aqui, minha cadelinha. Larguei tudo para ficar com você. Me deixe entrar, vai! - Eu estava muito nervoso, imaginando que ela me rejeitaria, mas convencê-la foi mais fácil do que pensei que seria. rn- Vou deixar você subir sá porque estou com a lingerie que eu comprei para usar com você. - A voz dela tinha aquele tom safado que me deixa louco. Subi pulando os degraus de dois em dois e bati nervosamente na porta do apartamento. Ângela me recebeu com um roupão que cobria seu corpo inteiro. Eu entrei rapidamente e ela trancou a porta e deixou o roupão cair, revelando um conjunto de corpete e tanguinha preta de renda espetacular, que valorizava as curvas daquele corpo perfeito. Louco de tesão, corri até ela, a peguei no colo e a levei até a cama, aproveitando para ir beijando aquela boca carnuda no trajeto.rn- Que saudade de você, minha cadelinha. - Falei enquanto a jogava na cama.rn- Nossa, gato! Sá fazem dois dias desde nosso encontro e você já está assim? - Ela se virou de quatro na cama e rebolou aquele rabo majestoso. - Vem me mostrar como se trata uma cadelinha, vem gostoso!rnColoquei uma camisinha, afastei a taguinha da bundinha dela e encaixei meu pau naquele cuzinho delicioso. Ela tomou o controle dos movimentos e começou um lento vai-e-vem, passando a foder a minha rola com aquele cuzinho delicioso. Eu estava em extâse, pois nunca tinha visto tamanha habilidade em na arte de dar o cú. Ficamos nisso por mais de um minuto até que ela começa e sussurrar para eu fedê-la e eu que já não estava aguentando de tesão mandei ver sem dá. Comecei a meter com vontade, a chamando de cadelalinha safada sempre que minha pica entrava até o fundo, a fazendo gemer bem alto. Ângela começou a ofegar e me pediu para foder mais forte e mais forte até que gozou sem tocar no pau. Era uma visão maravilhosa: Aquela gata de quatro para mim, gozando no lençol apenas pelo "poder" da minha pica enterrada naquele buraquinho quente e macio.rnEla deixou seu corpo cair na cama e eu cai junto, sem tirar minha rola de dentro da minha cadelinha. Ficamos naquela posição por alguns minutos até que ela deitou a cabeça na minha barriga e começou a me chupar. Ela babava na cabeça da minha pica, lambuzando meu pau de saliva. Estava tão gostoso que eu gozei sem avisar na boca daquela cadelinha, que engoliu o quanto pode. Depois lambeu a porra que escorreu no meu cacete até deixar ele limpinho.rnÂngela se virou para mim com carinha meninnha sapeca e disse: - Que bom que você veio, amor.rn- Como eu disse antes, sou seu para para você fazer o que quiser comigo! - Nás dois rimos da frase, lembrando que ela tinha me dito o mesmo para mim no primeiro encontro.rn- Me desculpe se eu fiz você brigar com sua esposa, mas eu precisava de você hoje. - Ela fazia umas expressões de coitadinha que não dava para resistir.rn- Ex-esposa, gatinha! Depois daquela noite, eu sá quero você e mais ninguém! - E era verdade, Ângela era a única mulher que me interessava.rnEla abriu um sorriso e me beijou. - Então você é sá meu por todo o final de semana, gato?rn- Pela eternidade, se você quiser! - Eu estava completamente fora de controle.rn- Então vamos dormir, gatinho. Amanhã a gente tem que sair bem cedo se quisermos aproveitar a praia. - Ela se deitou de costas para mim e se encaixou no meu abraço para dormirmos de conchinha novamente, mas desta vez era eu que estava enconhando a minha cadelinha.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Sou casada mas bebi porro de outra cara contosContos eróticos comendo uma lorinha dos seios grandes Luizaconto gay metemos todo diacontos eroticos adoro o leite delescontos traindo meu maridoContos eroticos marido deixa esposa fuder com mecanicof minha familia em grande orgia contos eroticosContos eroticos de de lindos travestis tarado por cutestando um penis de borracha na esposa contoscontos olhando a encoxadawww.contos heroticos..uma jujuba bem comida...vi minha namoradinha perder a virgindade contos eroticosConto cu afrouxadoContos eroticos sem calcinha estuprada pelo sadomasoquistaconto erotico sexo pepinoContos irma mais velhafumei um baseado fiquei puta contoxvidio.vagbuda.virgemcontos esposa e amigasandra porno animais homem comendo o cu do cavalo ele gostacontos eroticos fui comida pelo meu chefe e chingada feito uma puta vadiacontos eróticos meu primo tinha um pau descomunalcontos eroticos a bunda gostosa da minha cunhadaconto erótico de lesbicacontos vi minha irma com pausudocontos eroticos apanhandoconto erotico cuidando das amiguinhas da minha irma viio corinho do pinto dele nem descia ainda contos eroticoscontos eróticos gay primeira vesconto eróticos sexo entre família gozando dentro da buceta engravida deleConto erotico coroa pausudo so de sungacasa dos contos mãe e irmã praiaCont erot bucetacontos de cú por dinheirocontos eróticos minha mãe fumou baseado e comi elacontos eroticos piscinacontos de punheta com botascontos minha namorada me fez corno com vizinho marrentoConto doente mental gozeivisinha casada o novinho contos com fotoscontos eróticos pagando dívida de maridovoyeur de esposa conto eroticoContos eroticos curtos com detalhes por detalhes falas e falas eu era uma menina virge de 12aninhos e um tarado me comefudida pelo irmaocontoeroticominha vó puta contosMamando rola na escola contoseroticoscontos eróticos mamãe puta do meu amigoPorno gay conto erotico menino submissoconto erotico corno mi ajudouSogro gay conto eroticoContos eroticos eu paguei pra fuder a minha sobrinha casadaprivoquei meu cachorro conto eroticoEstupro gay conto gay pedreirocontos erotico-você fodendo muito meu cuzinhocontos eróticos violentada por um flanelinhagay de rio preto de calcinhaconto erotico com mendingo jumentoContos eróticos real religiosanunca pensei que fosse trair parte4,5 e6contos eróticos i****** ensinei meu filho aleijadocontos eróticos fazenda cavalos empregadosrelatos coroa mãe de amigoConto incesto chicotadas no rabao da filhacontos eróticos pra lésbicas miga sapatacontos dando para minha familia parte 2conto flagrei minha mãe dando para um bem dotadoconto gay meti a lingua no cu dele no sofa da salaminha espossa a sogra e suas tara contos eroticostitiatezudahttps://idlestates.ru/conto_29032_espiada-no-natal.htmlXvidio minha mãe traioContos porno com o papaiincesto primo bolinando prima pequena de cinco anosconto erotico funk perdi tive varioscontos erotico dono de sitio meti com a esposa dos empregadomulher se esfregandono travesseiro contoConto erótico filhinha querendo o pintão do papaiesposa violada relato eroticohttp://os mais recent contos eroticoscontos eróticos estupro gayscontos gay afeminadosconto erotico garotinho de shortinho socadoconto gay, poltrona 42zueiras mais gostosas e fogosas da bunda grande e pernas grossascontos eróticos gay surubacasado contos eróticosdeixei um mendigo de rua comer minha bucetinha