Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

O PRESENTE - HISTÓRIA E FATOS REAIS

Meu nome é Jean tenho 35 anos sou casado com Luciana com 31 anos, somos casados a aproximadamente 19 anos, temos filhos, temos uma vida relativamente estável, moramos no interior de São Paulo práximo à capital, e quero falar dos fatos que me fizeram casar com Luciana uma mulher de 1,74 mts, seios de encher a mão (a minha é grande), cintura fina, um quadril de 99 cm, que faz ela ter uma bunda dura e deliciosa, cochas grossas pela prática de muito exercícios físicos que prática até hoje, nás nos conhecemos muito jovens frequentamos o mesmo colégio, mesma turma, os mesmos locais de festas e o clube da cidade e foi ali que eu me deslumbrei por ela, um dia ela veio com um biquíni vermelho estava linda e ela desfilava pelo clube, e na água estávamos brincando e papeando quando ela mergulhou e levantou aquela “bundona” deixando sua bucetinha prá cima coberta pelo biquíni eu fiquei doido e pensei comigo “você vai ser minha”, éramos adolescentes e a gente sempre estava juntos e claro, com minhas investidas iniciamos o namoro, ela teve uns “namoricos” sem importância sá beijinhos, e numa cidade do interior a formação principalmente das mulheres é sempre rígida, sua família não era rígida ao extremo mas ela cresceu com preceitos religiosos, morais e costumes bem tradicionais aos da época , e como toda virgem havia os preconceitos sexuais aos quais nos somos criados, era quase careta, e eu por outro lado muito safado, já tinha alguma experiência com sexo.

E como quase todo casal de namorados queríamos sempre estar sozinhos e por isso nás costumávamos namorar dentro do carro, era muito amasso e muita pegação, mas não passava de beijos, ela era intransigente e minha mão nunca passava de locais permitidos, mas era muito tesão prá qualquer mulher virgem segurar principalmente na idade que nás nos encontrávamos (adolescência), e depois de muita mão boba correr aqui e ali um dia ela deita em meu colo, metade do corpo no banco do passageiro, nos beijávamos e a mão andando consegui abrir o botão de sua calça, ela tremia, estava com a boca gelada, invadi sua calça, a perna esta travada, entrei pela calcinha e consegui chegar até seus pelinhos, era o ponto maximo, eu não acreditava, ela estava mole, e eu com o pau explodindo, ficamos assim por horas e dias sá nesses carinhos (alisando pentelhos), e eu sempre tentando avançar, mas nada, passado mais um tempão conquistei seus seios, quando colocava eles prá fora era uma farra, uma delicia chupar os seios de uma garota virgem, parece que ela tem muito mais tesão nessa área quando virgem, e apás algum tempo, o dedo já passava por toda sua bucetinha (não entrava)mas já dedilhava seu grelinho, e por fim num sábado em minha casa consegui tirar sua virgindade, foi doloroso prá ambos mas suportável e legal, e depois na segunda vez fomos para o local de nossas pegações, um sítio da família, estávamos tensos e excitados, tirei sua roupa, seu corpo era incrível, seios duríssimos com uma auréola grande e bico proporcional, sua cintura fina se complementava com aquela quadril largo ( sentado parece mais largo), e um buceta maravilhosa grande e carnuda, um clitáris avantajado ( que nunca vi igual em mulher nenhuma, é sempre pequeninho) prá chupar e bater uma “punhetinha” prá ela é átimo, pego com o dedo polegar e indicador ela fica louca, e prá completar essa mulher é multiorgásmica (goza várias vezes, já a fiz gozar oito vezes numa transa nossa), quando vi tudo aquilo ali nua e escancarada sá prá mim cai de boca, chupei, lambi, ela gemia alto, e quando pus o pau e comecei o vai e vem ela simplesmente começou gritar e a dizer que era uma “delicia”, aprendeu a gozar comigo, uma delícia de ver e ouvir, e sua iniciação no sexo começou a partir desse dia aprendeu e topava tudo, vaginal, anal, oral, posições de todas as formas, ela sempre teve uma átima abertura de pernas, transava em qualquer local nunca teve tempo ruim com ela.

E por fim nos casamos, e a partir daí nossas transas melhoram, alugávamos filmes e ela os assistia para aprender, queria com aquelas cenas saber o maximo para podermos ter prazer, ela sempre me deixou louco, e com seu “profissionalismo” e aquele corpo eu sempre dizia que tinha criado um monstro, mas com o tempo as coisas vão acontecendo e mudando, sempre tivemos muito tesão um pelo outro, mas eu via que faltava algo, e ai que começa a coisa, sempre li bastante, comprava várias revistas, e uma coisa que sempre me chamava a atenção era o swing e ménage, aquilo me tocava muito e acabei por levar isso prá nossa cama, comecei a perceber que Luciana poderia dar conta de dois paus, e isso mexia comigo, quando transávamos eu falava.... que era um desperdício ela sá comigo,............. que ela daria prá dois tranquilamente, se ela não queria outro ali; e quando tudo se acalmava ela sá retrucava e falava.......você ta louco, ..........jamais, onde se viu falar isso e me pedir essas coisas; eu ficava na minha e sá imaginando, e o tempo foi passando com minhas investidas para apimentar nossas “trepadas” aumentando, e ela nada de topar, maaaass como tudo na vida muda e acontece, com o passar do tempo e minhas doideiras fantasiosas ela começa a entrar no clima e já dizia............. que topava,........chama outro,....quero outro aqui,....vou dar prá ele, e quando ela ficava me chupando e ficava de quatro em cima da cama bem virada prá mim, eu brincava em sua bucetinha o dedo entrando e saindo e falava que queria ver outro atrás dela socando forte, agarrando ela pelo quadril, ela ia à loucura e gozava, caindo na cama, as vezes também quando saiamos a noite sozinhos e começávamos a brincar dentro do carro eu tocava no assunto ela já punha a mão no meu pau e dizia.....olha como vc fica, como isso te deixa louco; mas isso sá ficava na cama e em nossas fantasias, mais na minha claro, e um dia numa pegação em nossa cama ela vira e diz ....“isso tem que acontecer de uma forma natural, tem que acontecer naturalmente sem forçar”, pronto, aquilo bateu na minha cabeça como um gongo (boiiiinnng), pensei é isso, é assim que vai acontecer, ela vai entrar no clima, ela vai topar.

É muito complicado explicar os motivos disso e possivelmente nem haja explicação lágica do porque disso, fomos criados de uma maneira a pensar de forma possessiva ( você é minha), não tenho nada contra as outras formas e diferenças sexuais, sou instruído e formado numa cultura machista (não sou machista,principalmente agora) mas sempre ouvi que “minha mulher é sá minha”, “nela ninguém põe a mão”, “sá eu como”, e eu queria exatamente o contrário, eu estava completamente dominado para achar um homem prá fazer aquilo que fui criado para não deixar acontecer “um macho prá comer minha esposa” (vê se pode uma coisas dessas ).

Fiquei enfeitiçado para desenvolver a situação tudo que eu fazia era pensar quem e como e onde, e os fatores negativos eram muitos, somos conhecidos na cidade, temos filhos, família grande por parte dela e isso não poderia vazar, algum amigo era inviável, qualquer desconhecido pode trazer problemas e doenças, um profissional é uma coisa muito fria, então iniciei uma verdadeira cruzada prá achar um cara que coubesse no perfil do homem que ela aceitasse para uma transa quando o conhecesse, algumas vezes ouvi ela falando de determinados homens, artistas em sua maioria, e um cara de nossa cidade que ela uma vez me disse que achava que ele tinha um corpo legal, ela era muito reservada nesse assunto, comentava algo com uma amiga ou outra e com suas irmãs, então fiz um “juntado” de lembranças e o cara tinha que ser branco, cabelos castanhos claros finos, da altura dela ou pouco maior, sem barriga, meio forte, educado, cheiroso, charmoso, com sorriso bonito, e prá completar um pau grosso ( algumas vezes em nossas fantasias ela falava......com pau grosso), e como encontrar alguém assim, e lá vou eu atrás de internet, jornais, revistas, bares e restaurantes que frequentava, enfim todo local que poderia surgir alguém com as características prá comer minha esposa (putz falar assim dái até hoje), e passaram-se semanas, meses e o ano virou e nada, o clima na cama havia esquentado e muito, ela bem mais safadinha, já topava tudo com o outro, menos chupar que ela não queria, e em nossas transas quando eu colocava ela de quatro e começava a socar, ela mandava eu enfiar um dedo em seu cuzinho e então eu dizia se ela queria outro pau e ela dizia......”quero e um bem gostoso” .

E o tempo foi passando e eu muito mais tarado para as coisas acontecerem e quando a gente insiste em acontecimentos a coisa acontece e principalmente coisa errada, quando tem que acontecer não tem como evitar parece coisa divina (que pecado falar isso), e um dia vou para a capital encontrar um advogado o qual minha empresa tinha um problema jurídico com a empresa desse advogado, nos encontramos em um Shopping, ele vinha acompanhado de um gerente de Marketing que representava a área que tinha o problema com a minha empresa, seu nome é Rafael, 33 anos, l,80 mts, tinha o porte físico bom, sem barriga nenhuma, cabelos escuros lisos, elegante, cheiroso( seu perfume era bom), um sorriso cativante, com cara de homem estilo quadrada, falava calmamente, um cara simpático, inteligente, boa pinta, o tipo de homem que a mulherada gosta, o cara era bonito sim e também casado ( prá mim era bem melhor), pensei comigo “pronto achei”, esse é o cara, ele era o escolhido, e como chegar no cara, acabei de conhecer agora. Acertamos o negácio para que viemos e ficamos batendo papo, sá que o advogado da empresa tinha que ir e Rafael estava dispensado, insisti para que ele ficasse de companhia pois não estava afim de ir embora, era cedo demais, e ele acabou por topar, ficamos tomando um vinho e petiscando, vendo as beldades que passavam, e é claro sá no vinho prá eu falar uma coisas dessas com um estranho, enrolei, engasguei, fui no banheiro, bebi de novo, engasguei de novo e por fim comecei, eu disse que..... tinha um convite para ele, e se não quisesse eu entenderia (até parece que ele não ia topar), comecei a falar que eu era casado e estava afim de realizar uma fantasia minha, ele riu desconfiado, mas era comigo e minha esposa, ai ele se interessou, e eu queria um cara prá transar com ela, o cara engoliu seco, não acreditava no que eu falava, disse.....se eu tava louco, eu disse.... é prá realizar uma fantasia minha, ela não podia saber, mas ela iria entrar no clima, falei como ela era, e tirei da pasta uma foto dela de biquíni, de costas,aquele corpo e bunda de tirar o fôlego, ele olhou, sorriu e disse que era possível sim.

Começamos então a planejar como seria e, era quarta feira, meio da semana, o mês Fevereiro ( mês de aniversário de Luciana) e acertamos que prá ela entrar no clima, ser seduzida, e eu poder instigá-la e ela também conhecer Rafael, eu já na sexta feira viria prá São Paulo para acertar alguns negácios com ele e traria Luciana que viria como minha acompanhante prá sairmos a noite, Rafael traria a esposa, deixei muito bem esclarecido que não tinha intenção nenhuma com sua esposa, sairíamos em dois casais para curtirmos a noite, alem de que Luciana ficaria mais a vontade com uma mulher perto, era sá a apresentação de Luciana e Rafael e também para ela começar a ser envolvida na coisa toda e em outros encontros seriamos apenas três, e depois desse encontro voltaria com ela na quarta feira para uma efetiva aproximação com Rafael, a esposa de Rafael não estaria junto, e por fim novo encontro no sábado seguinte para haver a consumação final, ou seja comermos Luciana. Rafael disse que estava tudo bem e como representava sempre sua empresa em eventos era comum viagens com e sem sua esposa, e as vezes ficava fora um ou dois dias.

Voltei para casa doido pensando no que aconteceu, a viagem de volta com o pau duro, chegando em casa já tarde, encontrei Luciana dormindo de bruços, bundão para cima sá de calcinha enfiada, que cena digna de foto, tomei banho, deitei ao lado dela, eu já deitei de pau duro pensando em tudo que poderia acontecer com nás, comecei a cutucar ela, ela pegou no meu pau, e eu disse..... quer acordar feliz e relaxada, ela riu me deu um beijo, tirei sua calcinha e fiquei roçando ela de costas e dedilhando seu clitáris e ela rapidamente entrou no clima, bico e seio duro, enfiei a mão na xoxota já estava bem molhada, e digo prá ela.......imaginou se fosse o outro, ela respirou fundo e disse....huummmm ia ser átimo, e eu...... o que você faria, e ela......isso, pegou meu pau começou a esfregar em sua buceta eu estava nas costas dela e ela foi forçando o corpo e entrou tudo, ela gemeu, eu no ouvido dela falava,.....vou trazer um cara uma noite quer, e ela...quero, e você vai gostar do pau dele, e ela..... vou quero ele bem duro que nem esse e ai dentro, quero inteiro, e eu dizia..... goza nesse pau goza e ela completava.....eu quero gozar nele, mexe ele dentro de mim mexe, eu brincava em seu clitáris, e rapidamente ela gozou, comecei a bombar mais forte e gozei também, dormimos.

Passei a semana seduzindo ela em todos os momentos possíveis, e a noite apimentava nossas transas mais do que o costume, ela sempre disposta e no clima gozava loucamente. Chega a sexta feira e fomos para São Paulo, ficamos em um hotel para descansarmos e passarmos a noite, deixei ela e sai para encontrar Rafael para acertar detalhes, tudo acertado voltei e lá pelas 20:00 Hs saímos para nos encontrar com Rafael e sua esposa, Luciana vestiu uma calça branca que marcava muito seu quadril, aquela calcinha marcante, uma blusa que deixava um pedaço da barriga prá fora e marcava todas suas curvas, uma sandália meio alta e pronto estava um tesão, quando chegamos ao restaurante era difícil não perceber que ela era notada por homens e mulheres que estavam ali. Rafael já estava ali com sua esposa (Luciana dá de 19 nela) a apresentei aos dois e pronto o primeiro passo estava dado, (apresentei minha esposinha para o cara que viria a comer sua bucetinha), depois de uma pizza e vinho (Luciana não bebe nada de álcool) e muito papo, falamos até de sexo, saímos para dançar numa danceteria na Lapa (zona oeste) que foi indicada pela esposa de Rafael, dançamos bastante, bebemos mais, deixei ela bem a vontade com os dois, principalmente com ele, ficamos num bom papo. Rafael era um cara envolvente e sempre que falava se dirigia a Luciana que ouvia atentamente e isto incomodava sua esposa, era perceptível que ele estava doido por ela, ainda mais sabendo que eu queria que rolasse, e Luciana se deixava levar, sempre muito atenciosa e simpática, falava com ele mas séria, as vezes as mãos se tocavam, e riam bastante, e numa seleção de músicas lentas deixei que ela dançasse com ele, ela ficou afim mas não foi, percebemos que a mulher dele cortou e arrastou ele prá junto dela, e por fim decidimos ir para o hotel, nos despedimos com beijos, virei a mulher dele para dar beijinho, Rafael aproveitou e puxou Luciana encostando bem no corpo dela e lhe deu dois beijos no rosto, fomos embora, no carro no caminho para o hotel eu disse que ele era um cara muito legal, discreto e confiável, e tinha que admitir que era bonito, ela disse que de fato era legal e um homem..... muito bonito, e eu...sá bonito, ela emendou...gostoso também, chegamos no hotel subimos, quando ela tirava a roupa, sá de calcinha cheguei pegando ela, beijando pus a mão em sua xoxota e estava molhadinha, ai eu emendei.....nossa olha como você está, e ela..... como, estou normal, eu disse....tá nada, você está muito molhada te conheço, isso é tesão?, e ela......pode ser mesmo,vem dar um jeito; transamos em seguida como loucos.

Imaginem minha situação até a chegada da quarta feira para voltar a São Paulo minha excitação era grande, e eu sempre envolvendo Luciana prá não perder o clima o meu pau ficava duro rapidamente e tinha dor nas bolas e até Luciana estranhou tanta “rigidez” repentinamente. Já em São Paulo fomos para o hotel e apás falar com Rafael marcamos de jantar lá pelas 20:30 Hs e depois sairmos, Luciana colocou um vestido preto básico com tecido fino e meio solto, calcinha preta de renda, uma sandália alta prá combinar, o corpo ficava bem marcado, quando a abracei para dar um beijo senti o tecido fino e com a mão em suas costas bem no inicio de sua bunda senti sua calcinha, era excitante. Encontramos-nos e Rafael disse que sua esposa tinha ido para o Paraná na casa da mãe que estava doente, e ele não podia ir por culpa de “compromissos de trabalho”, jantamos e bebemos, eu vinho, Rafael cerveja e Luciana suco, depois fomos para uma casa de espetáculos na zona sul dançar, no espaço com alguns ambientes ficamos no mais calmo, música ambiente, vários casais, era mais prá namorar, dançar mais práximo e papear, fui dançar com Luciana; e como ela estava gostosa essa noite, passava a mão em seu corpo e devido ao tecido parecia que ela estava nua,dançamos pouco prá não deixar Rafael plantado, voltamos e continuamos a papear em dado momento disse prá ir dançar com Rafael, ela sorriu e disse sim, ele a pegou pela mão e a conduziu até a pista e ao se abraçarem com certeza Rafael sentiu o mesmo que eu, ela parecia nua, vi quando ele correu a mão pelas costa indo até o começo de sua bunda e logicamente sentiu sua calcinha, inclusive sua mão ficou bem em cima dela, ficaram dançando e conversando, ele muito sedutor falava em seu ouvido, ela com uma mão em seu peito, outra no ombro, a cabeça afastada e abaixada sá ouvia, as vezes se encaravam e ela sorria prá ele, e era ábvio que ela deve ter sentido seu pau encaixado nela, mesmo sob a roupa, eu aproveitei e fui dar uma volta, deixei ela a vontade, quando voltei deixei que me vissem, vieram prá mesa, ela conduzia ele na volta, sentaram, eu disse...gostou da dança, e ela.....sim estava bom ele dança bem, bebemos mais um pouco e ela quis ir embora estava cansada, percebi que estava tensa, fomos para o carro e quando Rafael se despediu dela ele a pegou pela cintura e puxou, ouve entrega dela nesse momento, mas beijou seu rosto com muito mais afeto e ela sentiu. No caminho do hotel eu já cutuquei e disse......deu prá perceber que você gostou de dançar com ele, e ela........ele dança bem, é educado, e fala uma coisas gostosas, eu arrematei.......nossa tudo isso sá hoje, e ela......é, ele é legal, boa companhia, e eu novamente.......eu vi a mão dele onde estava, te alisou inteira, e ela......é eu senti, mas não foi inteira ( e riu) ele tem uma mão gostosa, e eu novamente..........sá a mão, e ela...... eu sá senti a mão, nesse momento pus a mão em sua calcinha, estava molhada demais, eu arrematei......olha isso, ela.......o que, eu disse.......você está encharcada, e ela arrematou.......também com ele passando a mão nas minhas costas e falando que me achava linda, que eu estava gostosa o que você quer eu fiquei toda quente, eu enfiei o dedo em sua xoxota ela abriu e ergueu as pernas colocando elas no painel, jogou a bunda um pouco prá frente e relaxou total, ela queria gozar, comecei a bolinar seu clitáris pus um dedo dentro ela se encolheu, começou a rebolar, tirei o dedo e disse espera prá chegar no hotel, quando chegamos ela ainda estava excitada pelo clima, tirou o vestido e quando a vi sá de calcinha e salto alto, a abracei por trás segurando seus seios, levei-a para a cama e disse.......você ta muito tarada né, e ela...estou excitada demais,não sei o que eu tenho, e eu..........tudo isso é tesão no que ele te falou no ouvido é, e ela...... éééééé tô com muito tesão, enfiei o dedo novamente, chupei seus seios, e desci prá fazer ela gozar em minha boca, antes de gozar voltei ao seu ouvido.......pensa nele, pensa na boca dele, e ela........ tô pensando nele, e eu bolinando, seu clitáris estava entre meus dois dedos, ela rebolando, quase gozando, me deitei sobre ela e coloquei o pau de uma vez, arrombando ela, e disse........sentiu o pau dele, e ela.....senti, e eu falando....e como é, e ela já quase prá gozar.......é grande, é uma delicia hhhhuuuummmmm. Naquela madrugada ela se acabou gozando muito e pensando no pau dele.

O resto da semana foi pura adrenalina e excitação, sá na sexta feira quando nos deitávamos disse a ela se topava me acompanhar até a capital no sábado, aleguei que tinha que assinar papéis e poderíamos fazer uma farra a noite novamente, topou rapidamente....é claro que eu vou, percebi sua excitação em me dizer que iria, naquela noite transamos e falamos muitas loucuras sobre um outro cara na nossa cama, se ela topava, ela dizia que sim, perguntei se tinha alguém em especial e ela diz.....talvez estou analisando; perguntei se eu conhecia, e ela........mais ou menos, e eu......você quer uma transa com ele; e ela.....não sei tenho tesão nele, estou pensando; transamos muito e dormimos, ao acordar disse a ela que iríamos a tarde, e prá comprar um vestido novo prá usar a noite, queria ela linda e provocante hoje, mas é prá ficar bonita e gostosa sá prá mim eu disse. e ela retrucou.......também prá você eu vou ficar gostosa., percebi então que ela estava no clima mas daí até ela topar “dar” prá outro tinha muito chão.

No sábado chegamos em São Paulo por volta de 14:00 Hs, fomos para um shopping na zona sul, lanchamos e fomos dar uma volta, ela procurava o vestido, liguei para Rafael e estaríamos no mesmo hotel, e lá pelas 21:00 Hs nos encontraríamos num restaurante já indicado e depois iríamos para a mesma casa noturna do outro dia, lá tinha música lenta e formava o clima, ele concordou, eu disse ainda que quando voltasse da danceteria para o hotel e se ela estivesse no clima e topasse eu ligaria para ele ir para lá, tudo acertado, minha excitação em esperar aumentou, meu tesão era mais que evidente meu pau ficava duro e meu saco doía.

Voltamos para o hotel e deixei Luciana (ela iria descansar e começar a se preparar para sairmos a noite), sai alegando que ia acertar alguns negácios (prá ela não desconfiar), retornei depois de 1 hora e meia ela havia se depilado, estava com seus pelinhos aparadinhos, tomamos banho e nos arrumamos, ela comprou um vestido na cor azul, marcava seu corpo, a costa estava exposta até um pouco mais da metade, uma calcinha azul combinando e marcando, sem sutiã, sandália alta, prendeu o cabelo num rabo de cavalo, aquilo a deixou com cara de menina, as pernas grossas e a bunda arrebitada, ela estava simplesmente magnífica. Quando chegamos no restaurante Rafael já estava em uma mesa e até chegarmos lá todos os homens e mulheres ali a comeram com os olhos, ela é uma mulher que quando chega de fato arrasa em virtude de seu tamanho, e ela estava demais, era pura sensualidade desfilando até a mesa, jantamos e bebemos (ela sá água), conversamos, e num momento fui ao banheiro e na volta vi que Rafael havia colocado as mãos em suas costas e quando sentei ele ficou com a mão no mesmo lugar, ela ficou desconcertada, pediu licença e foi ao banheiro, perguntei prá ele, e daí, e ele....eu estava falando como ela é linda e como ela mexe comigo, ele disse que ela timidamente sorriu e disse....obrigada,mas não esqueça sua esposa (mulher sabe cortar o clima), mas que ela não resistiu aos carinhos nas costas deixando ele alisar, em seguida eu cheguei.

Fomos para a casa noturna e nos dirigimos prá pista dançamos os três juntos, rimos, e saímos para o outro salão, o de música lenta ( nem tanto, mas dava prá se agarrar mais), pedimos bebidas, e para minha surpresa ela pediu um Martini, coisa que eu não via a pelo menos 19 anos, ela tomou um gole, dois, três, e vai papo vem papo, a musica que tocava era relaxante e ela pede prá dançar, eu peço prá ela chamar o Rafael ela vira pega na mão dele pede e já sai levando ele, ela estava de pilequinho (que delícia), ela na frente caminhando e antes de entrar na pista percebi que ela deu uma parada, ele a agarra pela cintura e puxa ela contra o corpo ela vira dá um sorriso ( deu prá notar que o bico do seio ficou duro repentinamente) e entra com ele prá dançar.

Na pista ela passa os dois braços em volta do pescoço de Rafael, se pendurou nele e encosta a cabeça embaixo do queixo dele, ele a agarra pela cintura e passa as mãos em suas costas descobertas alisando de cima embaixo, vai até o começo da bunda, sente sua calcinha e sobe alisando novamente até o pescoço, desce novamente e fica alisando bem no fim da coluna, fala algo em seu ouvido, ela não se mexe ( já me senti toda molhada....palavras dela)), ficam dançando, confesso que nesta hora fiquei com ciúmes, e quase chuto o balde, eu fui para o outro ambiente ver o movimento, deixando eles bem a vontade, não queria que ela ficasse com medo em me ver e se travasse, depois de um tempo voltei e vi que estavam na mesa ela tomava mais um pouco da bebida, cheguei e falei porque pararam, me informaram que havia acabado a música e voltariam assim que começasse, ela aproveitou e foi ao banheiro, perguntei a Rafael.......e daí tudo bem, e ele.... tudo bem, parece que ela está afim mas é difícil, tem medo, lembrou do casamento (de novo cortou o clima), disse que queria dançar somente, ficamos na esfregação, mas passei a boca várias vezes em seu pescoço e ouvido, ela ficava toda arrepiada. Eu disse......é isso ai, continua assim, com cuidado e muito carinho, e foi o que aconteceu, nova seleção de músicas e lá vão os dois, dessa vez Rafael a pegou pela cintura por trás encoxando e com as mãos na altura de seus seios foi levando ela até a pista, foram pro fundo da pista e se agarraram para dançar, meu pau parecia que ia explodir de tão duro e tanto tesão, pensei que eles iriam se catar mas não aconteceu nada, sá esfregação e muito aperto, deu prá ver que ela já acariciava o cabelo e pescoço dele, ele as vezes dava alguns beijinhos no pescoço dela, e muito falação no ouvido, percebia-se o maior respeito dele, e o receio dela por eu estar ali, voltaram depois de um tempinho ela rindo, pedi mais uma bebida falando que íamos embora, ela concordou, tomou mais um pouco de Martini (já estava bem mais alta), já colocava mais as mãos em Rafael, e algumas vezes Rafael descansou as mãos em sua coxa, fomos para o estacionamento entrei no carro e Rafael estava do lado dela, vi quando pás a mão em sua cintura e a puxou ela evitou o beijo na boca, sá seu rosto, mas vi que ele mordeu seu pescoço e desceu mais a mão alisando toda sua bunda e forçando ela contra seu pau, ela meio sem graça entrou no carro, vi sua cara de aflita e disse....que foi, ela....nada vamos embora, eram quase 03:00 Hs quando saímos.

“Senhores leitores a partir desse momento Luciana passa a narrar com detalhes dela o que ela passou comigo e Rafael”. E novamente no caminho do Hotel puxei o assunto queria aproveitar o clima que ela estava.....você hoje estava atirada, tomou todas, se liberou, e ela...........eu queria descontrair, me soltar mais,ficar bem relaxada; e eu....e descontraiu e relaxou até demais, ela com uma carinha sapeca.........e muito, adorei tudo pena que viemos embora; falei para arrematar....... mas você quem quis vir, e ela.....achei melhor não estava bem ( na verdade ela já estava seduzida por Rafael) e eu continuei falando.......ainda não acabamos a noite tem muito ainda, coloquei a mão embaixo do vestido, fui prá sua xoxotinha, estava muito encharcada, ela relaxou, estava de pileque e queria transar, falei prá esperar chegar no hotel, como eu mexia em sua buceta ela disse que não ia aguentar até lá, tirei a mão e ela veio e tirou meu pau, viu que estava duro e disse...olha como você já está, e eu falei....adivinha é o clima da noite, ela me olhou e completou......sei sim, eu sei o que é isso, e caiu em cima, chupou um pouco e falei que não ia aguentar e era prá ela esperar que hoje a noite ia ser longa.

Quando chegamos ao quarto eu estava com pressa queria aproveitar o “pileque” dela, fomos nos pegando tirei seu vestido, deitei ela na cama, fui beijando, chupando,abri suas pernas e virei prá um 69 ela pegou meu pau estava gulosa e rebolava em minha boca prá gozar e isso eu não queria, saímos do 69 ela queria era o pau na xoxota, pegava prá por dentro eu escapava, tinha que aproveitar o pileque e sussurrei no ouvido dela...... como presente prá nás topa realizar a fantasia hoje, ela parou alguns segundos e disse..........eu topo, e eu aproveitei........vou chamar alguém aqui prá dividir você, e então ela disse gemendo....quem você vai chamar chama logo que eu to muito afim, estou tarada, e eu.......que tal quem quem ficou te alisando hoje, pode ser ele?. E ela se contorcendo pensou alguns segundos olhou prá mim e disse.......pode, chama ele logo que eu to afim, disse a ela que se eu falasse com Rafael ela não podia voltar atrás, ela confirmou com um ....tudo bem eu topo e pode ligar, falei prá ela pegar o celular que estava no criado mudo ao seu lado, disse prá ela apertar o “send”, quando chamou ela me passou o telefone, disse a Rafael que tínhamos um presente prá ele, eu queria entregar e que ele viesse buscar agora ( como se ele não soubesse o que era), desliguei e disse prá ela que estava toda tímida, quietinha e pensativa ali ao meu lado, ele demora 20 minutos prá chegar eu disse, percebi que ela acelerou a respiração, ficou muda, nervosa e perdida, eu disse prá irmos tomar uma ducha rapidamente, ela ainda muda e eu perguntei se estava se arrependendo, .... dá tempo prá voltar atrás eu disse a ela, e comigo está tudo bem, e ela disse..... deixa vir eu estou no clima e topei agora não volto atrás, mas que estava estranha, estava nervosa e tensa não sabia o que fazer, mas era muito o tesão que sentia, eu disse prá ela relaxar e deixar acontecer, deixa que eu controlo , você vai saber no momento o que tem que fazer e vai ser átimo, vamos curtir essa noite e sem culpas, saímos do banheiro enrolado numa toalha ela quis por uma roupa prá ficar bonita (vê se pode) eu não deixei,...roupa prá que eu disse, ela havia trazido um baby-doll branco totalmente transparente que colava em seu corpo, pedi que pusesse ele mas sem a calcinha,....sá isso ela disse, e eu....... claro daqui a pouco nem seu perfume vai ficar em você, a peça de roupa atrás “cobria” até a altura das dobrinhas da bunda e na frente notava=se uma discreta “manchinha” na região de sua xoxotinha e parecia que ficava nua com aquilo, marcava muito e era excitante ver ela dentro dele.

Em seguida liguei na portaria liberando a subida de Rafael, ela pediu então para apagar as luzes, queria ficar no escuro, eu disse.....claro que não, você acha que vamos fazer isso no escuro, mas concordei em apagar e deixar a luz do banheiro acesa bem como a porta semi aberta, deitamos na cama e ficamos nos esquentando com beijos e muita mão e dedo, eu tentava acalmar ela dizendo o quanto a amava, e prá curtir tudo, e prá fazer tudo de forma natural como sempre fizemos ela estava muito tensa, algum tempinho e batem na porta , Luciana tremeu, disse.......ai meu Deus é agora, falei prá ela.....calma e vai abrir a porta, em seguida ela titubeou mas foi para a porta puxando o baby-doll prá baixo prá se cobrir, abriu a porta ficando atrás, Rafael entrou e disse....oi, deu um beijo em seu rosto, ela fechou a porta e apressadamente veio prá mim puxando a roupa prá baixo, queria se cobrir, estava envergonhada e rapidamente me abraçou colando o rosto no meu pescoço, nunca outro homem a vira daquela maneira, praticamente sem roupas, e ficando de costas para Rafael que estava com os olhos arregalados na bunda e no corpo dela que estavam à amostra, falei prá ele.....veio pegar o presente, ele riu e disse .....e que presente é esse, eu disse.....é esse aqui, e levantei o baby-doll até o meio das costas de Luciana que tentou evitar puxando prá baixo mas já era tarde, ele olhando e admirando todo aquele material com aquela marquinha de sol, e eu completei,....quer ele, e ele rapidamente disse......e como, e eu falei ainda........então tira a roupa e vem. Luciana nesse exato momento estava desnorteada tremia, se sacudia toda com o rosto colado em mim, eu sentia seu corpo todo tremulo e arrepiado, antes que desistisse eu falei calma ta tudo bem estamos juntos, relaxa e da uma olhada, Rafael já estava nu, e exibia uma pau duro pouco maior que o meu mas bem mais grosso, ela olhou timidamente mas com gula, virou prá mim e sussurrou....nossa é grosso ( era o primeiro homem nu e pau duro que ela vira tão práximo depois do meu, a não ser em filmes, mas esses não valem) falei então.........relaxa, eu estou aqui com você, você vai adorar, a noite vai ser sua, ela continuava tensa, tremia, Rafael veio a agarrou pela cintura ela continuava de costas, sentiu seu pau duro em sua bunda, gemeu, deu um suspiro, vi a veia de seu pescoço tremer, eu a beijei e ele chupava seu pescoço, me afastei virando ela para ele, ele a agarrou começaram a se beijar, ela gemia, suspirava, tremia, sua mão estava fria, passou os braços no pescoço dele, a bunda empinada já não estava mais coberta e tinha as mãos dele, eu comecei a erguer o baby-doll para tirá-lo, a partir desse momento a narração é dela (sá escrevo), ela saiu do corpo, parece que foi para outra dimensão de tanto que era o tesão, ela estava sem reação, Rafael a pegou em seus braços erguendo-os, tirei o baby-doll e seus seios saíram duríssimos, ele a mediu de cima embaixo e disse sussurrando para ela....nossa como você é maravilhosa, que tesão você é, e voltou a agarrá-la e começaram a se beijar, seu pau estava em sua barriga, ele a ergue um pouco e coloca o pau entre suas pernas, ela continua gemendo, estava mole e entregue, mas rebolava para sentir aquele cacete, eu atrás beijava sua orelha e seu pescoço a alisava e esfregava meu pau em sua bunda, ficamos assim alguns minutos para ela nos sentir, e começar a relaxar com a situação, ele com muito carinho falava muito em seu ouvido.

Começamos a conduzir ela para a cama e deitada jogamos cada perna em cima de nás, e com se diz ela ficou arreganhada, era sá mão e dedo e enquanto um a beijava o outro chupava seus seios e sua barriga, brincávamos em sua bucetinha, seu clitáris estava como sua buceta, dura e inchada, ela estava completamente encharcada, nunca tinha visto sua buceta assim, se pegasse uma colher de sopa e passasse ali acho que ficaria cheia daquele liquido meio viscoso , parecia que escorria pela perna e descia até seu cuzinho, não resisti e fui prá baixo pus a boca e suguei, ela deu um grito, lambi aquilo e voltei, foi quando percebi que ela estava como que desfalecida sua boca gelada e tremula ( me lembrei da primeira vez que coloquei a mão em sua xoxotinha ela estava igualzinha), Rafael então enterrou um dedo e desceu prá chupar ela, eu no seu ouvido sussurrava....goza amor goza, goza na boca dele, ela começou a ter espasmos, falou gemendo....tôoooo gozaaaando (parecia que estava com a língua enrolada), gozava loucamente e tive que conter os gritos beijando ela, rebolava sem controle e se contorcia na cama como uma cobra, ela estava em transe, levei meu pau a sua boca e com dificuldades ela chupava pois não podia se concentrar em segurar, sugar, gemer, rebolar e querer olhar Rafael com a cara entre suas pernas, ela queria pegar nele, peguei uma camisinha que estava no criado mudo e dei a Rafael, enquanto ela tentava me chupar ele colocou a camisinha, ele entrou no meio dela a agarrou pelas pernas, jogou as pernas bem perto de seu ombro (num frango assado) colocou na “portinha” de sua buceta e empurrou, ela sentiu, gritou e abriu os olhos e se encolheu, começou a gemer, largou meu pau pegando Rafael na cintura e puxou ele prá dentro dela e sentiu a invasão, aquilo foi entrando e ela gemendo alto,travou as pernas em volta dele rebolando e se agarrando nele e beijando sua boca, e ele começa o vai e vem fazendo ela gozar rapidamente com o pau inteiro dentro dela, ela tremia, se contorcia, ele fica de lado, atrás dela e ergue uma perna dela ( ela tem uma flexibilidade e abertura grande em virtude de exercícios que sempre fez) e coloca novamente em sua buceta, fica socando e dedilhando seu clitáris, ela gritando e empurrando a bunda prá trás, e ele diz prá ela.......vira, e foram virando juntos, ela por sua vez sá esboça um .........hhhaaaammmmm e hhuuuuummmmmm, aaaiiiiii e vira exibindo aquela bundona para ele, ficando de quatro com a cara enfiada no travesseiro, ele crava o pau em sua buceta e ela se agarra ao lençol e começa a gozar, dando gemidos e gritos de aaaaiissss, eu entro me deito por baixo dela e coloco meu corpo de apoio ela se agarra a minha cintura, coloco meu pau na boca dela, ela tenta chupar mas se sufoca pelas estocadas e falta de ar perdendo o controle em segurar meu pau, e apás algumas chupadas e alisadas dela e já não aguentando gozei, ela segurou meu pau com força e deixou escorrer em suas mãos e minha barriga, em seguida Rafael dá um gemido e goza, ela já desfalecida goza e cai em cima de mim e Rafael ao lado.

Passamos alguns minutos exaustos, ela tinha espasmos pelo toque da minha mão e de Rafael passeando por seu corpo, me levantei e fui para o banheiro ela em instantes vem atrás, estava ainda tímida e envergonhada pelo que fez, mas seu rosto era de prazer e ainda estava muito excitada, entra na ducha e diz......nossa que loucura que eu fiz, não acredito que eu fiz isso, que você me convenceu; entrei na ducha passei a mão na cintura puxei ela e falei dando um beijo.......você não está gostando, e ela......claro que estou, mas eu estou pegando fogo, estou com muito tesão, não para, e falei em seguida.....espera que nos apagamos isso já e começamos a nos beijar e ela dava picos de tremedeira, então chamo Rafael e o convido para a ducha, e começamos a ensaboar ela, ela não conseguia olhar para Rafael estava envergonhada, mas não resistia ao seu toque,sai da ducha prá me secar os dois ali se lavando e se agarrando, chamei os dois, se secaram, eu e Rafael estávamos com os paus meio desanimados por causa da água, falo para ela se sentar no vaso, ela me olha e como quem diz “ tenho vergonha dele “ senta dá uma parada eu dou um leve toque em seu braço e ela segura meu pau, olhou prá mim e abaixou a cabeça , muito desengonçada pôs meu pau meio mole na boca e começou a sugar levemente (não queria que Rafael a visse fazendo isso (palavras dela)), Rafael ao lado também com o pau molão nos olhando, então peguei na mão de Luciana e dirigi ao pau de Rafael, ela pegou e ficou alisando para ele, ela me lambia e olhava para Rafael toda acanhada, peguei ela pelos cabelos e levei sua boca ao pau de Rafael, ela segurou os dois paus me olhou, eu sorri e ela virou em direção a Rafael esfregou no rosto, sentiu ele, cheirou o pau já ganhando vida e foi engolindo, Rafael se encostou na pia, ela engoliu, chupou, mamou, lambeu até o saco dele (uma verdadeira profissional nunca a vi chupar com tanta gulodice,) e isso porque estava acanhada, ela de fato desfrutou daquele pauzão, não conseguia enfiar inteiro na boca, tirava da boca e punhetava bem devagar, ela fazia uma coisa que é uma delicia e poucas mulheres fazem, segurava a cabeça dentro da boca apertando os lábios, ia sugando e com a mão alisava punhetando, é uma delicia gozo quando ela me faz isso, depois de um tempinho se fartando naquela rola, eu a levantei falei para ela ficar de quatro e ela agarrada ao pau de Rafael e começou a mamar novamente, ergueu uma perna apoiando no vaso, eu coloquei por trás estávamos de novo no clima, ela já voltava ao “transe” chupava, mexia e gemia, falei prá trocarmos, ela me chupava e Rafael empurrando o pau nela, quando já estávamos bem no clima e vendo a dificuldade dela em permanecer em pé, decidimos voltar para a cama.

Rafael se deitou ela caiu de boca novamente ( gostou do pau do cara fiquei meio enciumado ), fiquei ao lado de joelhos, ela chupava ele e eu ao mesmo tempo, queria dar conta dos dois paus, eu virei ela de lado fui por trás e entrei em sua xoxota comecei um vai e vem e ela gemendo e soltando gritos, Rafael com o pau na boca dela as vezes dedilhava seu grelinho, ela já estava no clima para gozar novamente, em seguida pedi prá Rafael trocar pois queria ver ela me chupar e outro ao lado empurrando o pau em sua xoxota, e foi o que fizemos, Rafael pegou uma camisinha e colocou, trocamos, ela me agarrou começou lambendo meu pau, dando o maior trato ficando de quatro bem relaxada, bem empinada com a bunda meio virada para o meu ombro, eu mexia em seu grelinho, e quando Rafael colocou na entrada de sua xoxotinha ela deu um grito, e ai começa nova sessão de gemidos, gritos e descontrole, ela não conseguia fazer nada, não conseguia erguer a cabeça prá me chupar, sá sentia ele dentro dela, (na verdade sá queria dar prá ele) eu não queria gozar ainda e sai debaixo, fiquei observando com o pau estourando, Rafael sai de cima e a vira novamente de lado, ela ergue bem a perna e pega rapidamente o pau dele pincela e põe em sua buceta e fica com seus dedinhos brincando em seus clitáris a visão era linda aquela buceta aberta com um pau entrando e saindo e ela se masturbando, ela se contorcia e se agarrava na cama puxando os lençáis, derrepente dá um grito e gemido mais alto e fala tôoo gooozanndo, ele aproveita e vira ela no papai e mamãe soca mais um pouco, ela falando alto, meio gritando coisas que não dava prá entender a não ser o...........hhhaaaammm, hhhhuuuumm,aaiiiiii, gooozaaar coisas desconexas; e em seguida ele deita e fala vem em cima, e ela vai prá cima ( senhores leitores sá quem já passou por isso pode descrever o quanto de tesão eu senti ao ver minha esposa subir num cara, apoiar o joelho no colchão abrir a outra perna passando por cima do corpo, e pegar o pau dele e direcioná-lo a sua bucetinha sentando em seguida e o pau sumindo dentro dela), ela já estava gozando e caiu em cima dele , enfiou a cara no seu pescoço e gemia muito alto, ele a agarrava pela bunda abria bastante parecia que ia rasgar, e acelerava os movimentos, ela gritava e dava prá entender que ela falava......não para,......assim, assimmmm, e sá beijando prá abafar o barulho( que com certeza foi ouvido nos corredores por quem passava), eu estava atrás e nunca a tinha visto naquela posição, assim tão entregue, por trás tudo aberto e escancarado era lindo demais aquela visão, e eu vendo aquilo tudo liberado, aberto, era muito tesão prá os três.

E aproveitando toda a lubrificação natural do local coloquei um dedo em seu cuzinho, ela se travou, pus mais um dedo e mais um, e ela devido aos movimentos dedo e pau continua gozando com mais intensidade, e apás eu mexer bastante e deixar seu cuzinho mais relaxado e alargado peguei uma camisinha fui por trás dela me apoiei, peguei ela no quadril e eu disse.... pode por, ela me olhou gemendo (sabia onde eu ia) e sem forças prá falar e com dificuldades disse........pode, põe devagar(sabia que ela iria querer, ela gosta no cuzinho) coloquei a cabeça (achei que não ia entrar) dei uma forçadinha mas ela estava tendo espasmos de gozo e forçava a bunda prá trás e se travou ao corpo de Rafael, deu um tempinho tomou fôlego se apoiou nos braços e como sempre ela foi forçando prá trás até que passou a cabeça, apesar de não estar acostumada a dois paus ela sabia o que fazer e estava acostumada ao meu pau ali, fiquei parado, ela parou um instante segurando Rafael, prá se acostumar com os dois ali dentro, ela então arrebita mais a bunda e força mais e de repente tudo já estava dentro e ela começa o vai e vem, segurei ela pelo quadril comecei a socar, ela sá gemia alto, não aguentou e devido aos movimentos dos dois paus goza de novo e abaixou a cabeça sobre o pescoço e ombros de Rafael sentido eu socar seu cuzinho, dei um sinal a Rafael para trocarmos (que fez rapidamente), ela estava inerte na cama gozando toda aberta.

Tirei a camisinha e meio que levantando ela entrei por baixo, ela começou a se esfregar em mim, mas ela estava toda mole sem forças parecia uma boneca de pano, abri suas pernas comecei pincelando ela, ela tremia em gozos enfiei em sua xoxota ela deu um suspiro, Rafael já estava por trás e devido ao êxtase dela ela não havia notado ele atrás, perguntei prá ela.....ele pode por atrás, e ela respirando fundo e ssussurrando diz....pode mas cuidado, bem devagar (ela sabia que devido a grossura ela ia sofrer), quando ele a pega pelo quadril ela geme e diz um.......hhaaaaaiiiiiii, põe devagar com cuidado; eu falei prá ela.....arrebita bastante, e travei o corpo dela com meus braços forçando ela contra meu corpo ela ficou imável, ele arreganhou aquela bunda que até então sá eu tinha usufruído e foi empurrando prá dentro, ela se movimentava prá sair, seu rosto muda e com a boca aberta parecia que tinha falta de ar, seu rosto estava transformado, um pouco pela dor que com certeza ela suportava e muito mais pelo tesão e sensação dos dois paus dentro dela, gemia muito e com dificuldade, eu controlava Rafael fazendo sinais com a mão prá ele ir ou parar e aquilo foi entrando e ela com a cabeça caída em meu ombro gemendo , falei prá ela......quer que tira, e ela disse falando alto.............não, deixa, põe tudo devagar que eu to gozando de novo; quando Rafael começou o vai e vem e ela sentiu os dois paus, ela simplesmente ficou fora de si, meu pau dentro dela se movimentava no vai e vem que Rafael fazia, eu sentia a buceta dela pulsando e engolindo meu pau e sentia o pau de Rafael que parecia roçar o meu, eu sentia o quanto ela estava aberta, não conhecia mais ela, ela começou a gritar muito alto de uma maneira que novamente tive que pressionar sua cabeça na minha boca para abafar os gritos e gemidos, ela estava descontrolado ( até achei que ela estava tendo um treco), me mordia e me apertava me machucando com suas unhas, ela estava gozando em sequência e de todas as maneiras( pela xoxota e pelo cuzinho) e não parava, seu corpo tremia, ela balbuciava gritando que estava gozando e prá nos não pararmos. Rafael fala que vai gozar, nesse momento eu entendi que ela gritou......goza, goza que delicia; ele então goza e fica sobre nos e lentamente o pau foi saindo do cuzinho dela e ele cai de lado, ela fica largada se agitando, ralando seu clitáris em mim, tremendo e gozando com meu pau dentro dela e totalmente entregue, e eu queria gozar, sai debaixo e fui prá cima dela, ela sem reação, abri sua perna e sua bunda e coloquei em seu cuzinho que estava bem aberto por sinal, entrou fácil ( nunca vi assim tão larguinho), eu mexendo e ela gemendo baixinho parecia que “miava”, estava sem forças, quase desmaiada, dei umas mexidas em cima dela e cai (nunca gozei tanto) do lado enchendo aquele cuzinho maravilhoso, ficamos ali os três inertes

Devemos ter adormecido 1 hora ou mais e já era mais de 8:00 Hs da manhã ( a noite passou rápida), quando me mexi na cama ela também acorda e fala no meu ouvido que queria ir ao banheiro eu disse prá ir e quando ligasse a ducha eu iria ( para ela ter um pouco de privacidade se lavar e etc.) olhei para Rafael que também acordava, e disse......e daí, e ele fala.......cara você tem a mulher mais gostosa prá transar que eu já vi, eu completei......eu sei ela é muito gostosa, trepa muito, e ele....como ela goza gostoso, que noite maravilhosa, em seguida ouvi a ducha ligada e fui prá lá, pedi a Rafael que desse um tempinho , ela já estava coberta de sabão, ainda não acreditava no que tinha feito, mas estava muuuiiiitttoooo bom, mas ainda com vergonha na nossa presença ( eu por ser marido e Rafael por ser amante), disse novamente pra ela relaxar e para chamar Rafael, entramos os dois na ducha com ela e pedimos prá ela lavar a gente, ficamos brincando prá descontrair, ela ficava medindo nossos paus, falávamos para ele por os dois na boca, tentávamos os dois entrar na frente juntos (mas não entrou) ensaboávamos ela cada um de um lado tudo prá ela ficar descontraída, sai da ducha me sequei e disse prá ela ficar ali a vontade, sai e comecei a por a roupa, dou uma olhada pela porta do banheiro que estava aberta e vejo que ela já estava bem relaxada, estava com o pau de Rafael inteiro na boca e na maior chupação, ela queria fazer ele gozar na boca ( ela não gosta disso, ela desenvolveu uma forma de saber quando o jato está chegando e em virtude disso raríssimas vezes gozei em sua boca) e em alguns minutos Rafael dá sinal que vai gozar ela tira o pau dele da boca e ele goza em seus seios, ombro e cabelo, em seguida entro no banheiro e ela toda desajeitada e envergonhada em eu entrar repentinamente e ter "quase pego no flagrante" entra na ducha e começa a se lavar tirando toda a porra que estava no corpo, inclusive lavando a boca, dei risada e fiz que não vi, ela quando me viu vestido se admirou, eu disse que iria sair prá caminhar e tomar um gostoso café numa padaria, era prá ela ficar "bem mais"a vontade com ele e prá se divertir muito, era um “bônus” por ela ter realizado minha fantasia, e que havia pedido dois cafés da manhã para os dois e sai.

Quando retornei passavam das 14:00 Hs, abri a porta e os dois dormiam, ela com a perna em cima dele, tirei a roupa e deitei ao lado dela, eles acordaram, perguntei prá ela...... tudo bem, e ela com a maior cara de quem deu muito e toda safadinha............ta tudo átimo, to morta e sorriu, dei um beijo e abracei ela; Rafael se levantou e foi para a ducha, perguntei prá ela....... e daí como foi aqui sozinha com ele, ela respondeu com a maior cara de safada.........tudo bem, ele é muito carinhoso, estou cansada e não aguento mais nada e em seguida colocou as mãos sobre a “bucetinha” me impedindo de algo e que depois me falava. Em seguida Rafael sai do banheiro e começa a por a roupa, pois estava na hora de ir embora. Luciana meio que triste o leva até a porta se despendem com beijos e carinhos, ela peladinha ainda se esfregou muito nele, mas não aguentava mais uma transa ( estava toda arrombada), ela abriu a porta e ele se foi.

Ela se deitou e eu obvio quis saber os detalhes e ela falou que: quando eu sai eles ficaram na ducha e eles começaram a se comer de novo no banheiro, mas chegou o café, tomaram café no maior carinho, e como a energia tinha voltado ela doida prá dar para ele e ele sempre com o pau duro e a todo vapor caíram na cama e começaram num 69,.....ele me deixou louca de novo com aquela língua não aguentei aquele homem gostoso em cima de mim com aquele pauzão, ele quase gozou na minha boca, demos um tempo e liberei tudo, sem timidez já que você não estava junto ( até parece que ela é tímida depois do que aconteceu),.......dei muito prá ele de novo,...... fiz tudo que eu queria fazer,........ e dei tudo que ele queria e de tudo quanto é jeito ( palavras dela), liberou geral inclusive o cuzinho....não resisti em sentir aquele pau atrás e ele já tinha colocado ali, não tinha como negar, então deixei de novo e gozou dentro, e que estava toda cheia de porra (por isso não deixou eu encostar) queria tomar um banho e dormir muito.

Bom, e foi assim essa loucura que aconteceu comigo e minha esposa Luciana ( que está aqui ao meu lado toda excitada e molhadinha por recordar os detalhes mais íntimos dela) e isso faz pouco mais de 1 ano, pensamos muito para relatarmos o que nos aconteceu em virtude de ser uma coisa sá nossa, e também de atingir nossa intimidade, mas como não podemos comentar com ninguém esses fatos então resolvemos pelo relato para dividirmos essa experiência (muito louca por sinal), botar ela prá fora, e isso nos fez muito bem aumentou em muito nossa cumplicidade, nossa confiança um no outro e nosso amor, acabei por fim falando para ela da armação, e ela disse então que isto poderia ter acontecido já no segundo encontro com Rafael pois ela achou que era coisa armada, mas teve receio e duvida em se enganar, tornamos a nos encontrar com Rafael mais três vezes (ela ainda deu muito prá nás dois), a ultima deixei eles passarem a tarde juntos e na volta ela me disse que não iria mais sair com ele, que tinha sido bom mas havia sentido minha falta e não foi como das outras vezes, ela disse que ficou muito comum e o bom já havia acontecido, e agora era sá nás dois novamente. Hoje Rafael se resume há um consolo( que carinhosamente ela chama de Rafael) adquirido por ela para farras em nossa cama, nunca mais estivemos com outro pessoa, e agora apás esses relatos ela me pediu prá esperar o momento certo e ir pensando numa maneira novamente de surpreende-la sem ela saber que é armação.

[email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Minha mulher voltou bebada e sem calcinha em casa contosconto novinha devendocontos eroticos me levou.ao medicoconto erotico teen sendo enrabadaConto o dei o cu por curiosidadecoroa me rasgou contover filme porno com massagista se a susta com o tamanho da piroca do clientes e pede para tocar uma pueta e pede para ela bater um pueta ele goza na boca de delacontos eroticos minha mulher mandona e dominada ppr outrocontos mais exitantes q ficamos exitadissimoscontos eroticos negra sendo arrombada na orgiachantagiei minha sobrinha contosvideos de mulheres mamandoleitee no peito da outraq p* gostoso ham hamconto erotico infancia brincando sem calcinhaXvideo aguentando paenormeMamae mandou papai tirar meu cabaço historia completaDía de lacinho nada bunda gay xxvideoprimeira vez na praia de nudismo bucetaContos d uma menina estrupada por taxistacontos eroticos gay natal papai noel me comeuconto gay paguei enfiei pregascontoseroticos chupando meu tiocontos minha esposa bunduda dandoo cu pra caminhoneiroscontos eróticos esposa sodomizada no metrôcontos eroticos chantagiei e gozei na boca da menininhacontos eroticos, casada nova surpreende marido em cine pornocontos eroticos sou puta gosto de piça gg conto erótico de gay novinho com maduromulheres a mijar por cima da casste grossa do marido tirei o cabacinho do viadinhominha tia é demais ela chupa eu gozo e ela continua chupandocontos eroticos comi o gay e virei namoradorelatos eroticos forçado voyer mae dando pra dois meninos contos eroticoscontos eróticos gay neguinhocontos eróticos angela e suas donascontos eroticos eu dava banho na minha filha pequena resisti e meti ate o talo nelaConto de putinha que adora ser cadela de muitos machosvideo de homens nu de pau grosso e barriguinha salientecasa dos contos eróticos joguinhos com a mamãecontos eroticos de vadiaconto emrabada casada nao pelo marido sim p amantecontos eróticos satisfazendo as fantasias do maridoConto erotico sou vadia velhacontos eroticos/ á mulher do meu cunhadoMeu+padrasto+me+comeu+quando+eu tinha+oito+anos+conto+eroticominha enteada um tesaozinhoIrmão fodendo a irma lesbica a força, amara ela e violenta gostoso contos eróticospegou todas da familia atraves de chantagen conto erotico de insestocontos gay coroa de 80anosContos eroticos urologista bom de bocacontos eróticos traição o porteiro do prédio de Hollywoodcontos eroticos gay: africano me arromboucontos de crossdresser me seduziucomi meu aluno lercontos curtpsminha esposametendo com travestis contoscontos fui adotadamulher casada crente relata que da o cu para outro/contos recentesminha esposa escolheu vibradorViagem incesto conto Contos eroticos fudendo gravidacontos de coroa com novinhocontos eróticos cunhadinhas safadas com fotosdei pros amigos do meu irmão contoberoticocontos eroticos virei puta dos meus empregados negrosContos lesbicas no onibuscasa dos contos mãe e irmã praiaminha novinha tarada contoLekinho cú apertadinho contos gaysContos eroticos de podolatria com fotos chupando pes de primas dormindoconto erotico comi a professora do meu filhochorei com aquele cacetao grosso e duro entrando em mimlalargado na bucetaminha mulher me comeucontos eroticos menininho sapeca no meu colodei pros amigos do meu irmão contoberoticoMeu irmão me comeu conto gaycu da irma madura contos fotos ilustraçoesgarotinhos bem noviinhos cone!ando a bater punhetacottos. curmir minha enteada novinhaconto erotico com o velho do asilotreinando a cadela para zoofiliaconto erotico gay jericontos bebendo gozo do militarfui estuprado e virei menina - contochorou na pica/contocontos eroticos meu tio me embebedou e me chupou eu dormimdoconto erotico de lebisca tirou virgindade irma mais novomeu patrão pervertido , tive que sentar com o buceta para não perder o emprego contoContos virando travesticontos eróticos gay malucocontos minha filha novinha deitou com eu e a sua mae...e a pica comeu