Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

TIREI DOIS CABAÇOS NUMA NOITE SÓ

Minha filha de 20 anos deu uma festinha em casa para seus amigos Lá no meu apartamento. Ela aproveitou que minha mulher viajou para visitar a mãe em Juiz de Fora e me convenceu a deixá-la dar esta festinha. Ajudei minha filha a fazer alguns petiscos, comprei cerveja e vodka e saí para deixar a garotada mais a vontade. Recomendei a minha filha (que não bebe) para controlar a bebida para ninguém ficar muito embriagado. Claro que sabia que a recomendação era meio inútil mas fiz o meu papel.

Fui dar uma volta, fui a cinema e jantei fora. Quando voltei para casa as 2hs da madrugada a festa estava quase no fim. Sá tinha minha filha e duas amigas, Tamires e Marcele. A Tamires é loirinha, tem 20 anos, meio cheinha, um rosto angelical. Estava com uma blusinha e uma sainha bem rodada e bem curtinha. A Marcele é morena, bem magrinha, um rosto lindo, olhos grandes verdes lindos e estava vestindo uma blusa “tomara que caia” e uma calça comprida bem apertadinha. Quando cheguei as duas já estavam bem embriagadas e minha filha estava quase dormindo no sofá. Minha filha me pediu para eu levá-las para casa mas elas reagiram dizendo que queriam aproveitar mais. Peguei a garrafa de vodka como isca e consegui leva-las enquanto minha filha foi para o quarto dormir.

Quando chegamos no meu carro a Tamires, que estava mais bêbada, sentou no banco da frente e apagou. A Marcele sentou atrás e me pediu para que continuassemos a festa em outro lugar. A minha cabeça deu mil voltas e fiquei excitado. Meu pau ficou duro na hora. Perguntei: - Para onde vamos? A Marcele respondeu: - Para onde você quiser. Sai apressadamente antes que ela desistisse e fui para o motel. Quando cheguei na portaria, a Tamires acordou me olhou com a cara espantada e perguntou: - O que nos estamos fazendo aqui? Repondi: - A Marcele pediu para continuarmos a festa em outro lugar e escolhi este motel. Como ela estava muito bêbada acho que não percebeu o que eu tinha em mente. Pedi a suíte master com piscina e hidro e subimos. A Marcele chegou no quarto ligando a musica e as luzes. Começou a dançar toda animada, apesar do seu estado alcoolizado. A Tamires chegou e deitou direto na cama. Cheguei e tirei meu sapato e minha camisa e fiquei observando a Marcelo dançar. Ela dançava de forma sensual e em determinado momento me chamou para dançar com ela. Fui sem pestanejar e logo que cheguei perto dela puxei-a pela cintura encostando seu corpo no meu e beijando seu ombro. Ela ficou logo arrepiada. Senti meu pau endurecer ao contato com aquela menina. Ela depois daquele primeiro momento acho que voltou a si e tentou afastar-se de mim mas segurei firme e puxei seu corpo ainda mais de encontro ao meu. Como ela estava de salto alto sua bucetinha esfregava no meu pau e ela sentiu todo o meu desejo expresso no volume do meu penis e parou de tentar se livrar de meu abraço. Não perdi tempo, beijei sua boquinha e ela retribuiu com um beijo delicioso. Alcancei o zíper de sua blusa, que ficava na lateral e antes que ela pudesse reagir abri de uma sá vez. Ela não estava de sutien e seus seios lindos ficaram expostos. Não resisti aquela visão e cai de boca em um de seus mamilos e depois, como sou muito simétrico, lambi e chupei o outro também. Ela gemia de excitação. Peguei-a no colo e fui até a cama. Coloquei-a deitada no lado oposto onde a Tamires estava dormindo e por um instante fiquei admirando aquela meninha semi-despida. Linda. Prestes a ser possuída. Fui por cima. Desabotoei a sua calça e tirei-a. Ela não fez nenhuma menção de reagir. Ela ficou sá de calcinha. Ela meio que sem jeito cobria seus seios com as mãos procurando demonstrar um pouco de pudor. Acho que não estava fingindo. Ela ficou meio fora de si por causa do álcool, mas não era uma menina do tipo piriguete. Eu já era amiga da minha filha a algum tempo e achava que ela era boa companhia para minha filha. Foi ai que a cabeça de cima voltou a funcionar e fui por cima dela e falei em seu ouvido, com muito medo de ela concordar: - Você acha melhor nos pararmos por aqui? Ela não respondeu, virou o rostinho para o lado, encolheu as pernas e tirou a calcinha. Fiquei louco. Assim que acabou de tirar a calcinha ela virou-se de bruços e ficou esperando por mim.

Comecei a beijar a suas costas, suas pernas, seus braços. Abri de leve suas pernas e pude ver aquela bucetinha linda, raspadinha, rosadinha. E seu anelzinho. Também lindo. Abri mais suas pernas e comecei a lamber tanto a bucetinha como o cuzinho. Ela sá gemia. Não olhava para mim. Acho que por vergonha. Mantinha o rosto no travesseiro e gemia baixinho. Enquanto estava ali chupando a Tamires acordou assustada com a cena. Parei de lamber a Marcele e fui até o ouvido da Tamires e falei: - Fica quietinha, tira toda a sua roupa e deita aqui para você receber a mesma massagem de língua que a Marcele esta recebendo. Não sei porque, mas ela fiz com eu mandei.Coisa de louco. Duas meninas, deitadas de bruços com a bundinha e bucetinhas a minha disposição e eu sá chupando gostoso. Passado algum tempo naquela chupação a Tamires virou-se de frente para mim e pediu que eu fizesse amor como ela. Tirei meu pau para fora e fui metendo em sua bocetinha, que já estava bem molhadinha. Senti um pouco de dificuldade. Perguntei em seu ouvido: - Você é virgem garota? Ela respondeu: - Sou sim, mas quero perder minha virgindade com você. Fiquei louco e fui forçando. Ela gemia. Marcele, que ainda estava deitada de bruços, virou o rosto para acompanhar o meu desempenho tirando o cabaço da amiga. Quando percebi que Marcele estava meio que jogada de lado, com a mão alcancei seu anelzinho e fiquei botando e tirando um dedinho. Ela gemia. Ainda não havia rompido o cabaço da Tamires pois estava com medo de machuca-la. Depois de alguns minutos fui com mais força e finalmente consegui enfiar o meu pau todo na bocetinha. Ela chorou um pouquinha mas logo que comecei o vai vem ela começou a gostar.A cabeça de cima voltou ao comando e como estava sem camisinha interrompi a foda no meio, antes de ejacular. Ela reclamou quando tirei mas expliquei que era perigoso. Ela podia ficar grávida. Quando tirei meu pau saiu todo sujo de sangue. Tamires com muita calma levantou-se pegou a calcinha, lipou o sangue do meu pau e o pouco de sangue que escorria da buceta. Embora fosse virgem acho que estava preparada para aquele dia e agiu com muita calma. Levantou-se e foi tomar banho. Voltei a atenção para Marcele e perguntei em seu ouvido se ela era virgem. Ela respondeu que sim. Perguntei se ela queria perder a virgindade. Ela disse que não. Então perguntei baixinho em seu ouvido se ela me deixaria comer o seu cuzinho. Ela não respondeu.Continuei fazendo o vai e vem com o dedinho em seu cuzinho. Depois experimentei dois dedos. Ela gemeu um pouco mais forte e eu continuei o vai e vem. Alguns segundos depois coloquei em ação o terceiro dedo. Ela suportou bem. Acho que estava respondendo a minha pergunta. Tirei os dedos, apontei o meu pau na direção de seu anelzinho e fui forçando. Como já estava acostumado com os três dedos a cabeça entrou. Ela se retesou. Falei em seu ouvido para ela ficar relaxada para não doer. Ela relaxou. Peguei sua mãozinha e guiei na direção de seu grelinho ensiando a fazer uma siririca enquanto eu penetrava seu cuzinho. Quando ela embalou na sirica, com as minhas mão afastei suas nadegas e fui enfiando mais e mais ate que num ultimo esforço entrou tudo e minhas bolas enconstaram em sua bunda. Ela gemia alto. Bombei, primeiramente devagar e depois fui acelerando. Já estava bombando com força quando vi a Tamires na porta do banheiro. Parada me olhando. Devia estar pensando: Este cara tirou o cabacinho da minha bucetinha e agora esta tirando as pregas do cuzinho da minha amiga. Tava uma delicia. Bombei até ejacular um rio de porra dentro do cuzinho da Marcele. Quando tirei meu pau a Tamires veio em minha direção e seu eu poder reagir abocanhou meu pau, chupando até deixa-lo limpinho. Continuou chupando e meu pau endureceu novamente. Ela não parou de chupar e quando disse para ela que iria ejacular novamente ela disse: - Quero beber tudo. Urrei e ejaculei muito em sua boquinha. Ela como havia prometido bebeu tudo. Cai extenuado e dormimos até 10hs. Nos vestimos e levei-as em casa. A Marcele não olhava para mim. Despediu-se. Agradeceu e foi embora. A Tamires, mas atiradinha, me deu um beijo na boca e falou no meu ouvido: - Eu também vou querer perder as pregas do meu cuzinho com você. Me aguarde. E estou aguardando...........

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eróticos me deu um chocolateo pai da minha namorada me comeu gay contosmeu vizinho casado me comeu mestruad contoacontos eroticos cdzinha virei menina pra agradar meu donoenfiando a.pica..comdificuldademete mais. contosler relatos de garotas que gosta de "loirinhas greludasrabinho impinadinho em fio dental da irmacontos femininos reais encoxadas e zoofiliacontos eroticos de quata feira de cinzamarido de marleni vendo ela transarmeu pai um negro pirocudo contosmocinha sendo encoxadas e segursndo o piruRelatos de casada bunduda dando para os amigos do corno bebadocontos eroticos zoofilia aparelho coletacontos de cú de coroa religiosacontos eroticos lesbica amarrada por inimigameu cachorro meu machover filme porno com massagista se a susta com o tamanho da piroca do clientes e pede para tocar uma pueta e pede para ela bater um pueta ele goza na boca de delaconto eróticos lábios românticossou hetero mas ja paguei um boquete e gostei muitotranso com meu cachorro todos os diasvvidos de muler co casoro. fudemocruzando o cu fechadinhominha namorada apertando meu pau com a sua bucetarevista em quadrinho de babas eroticasfui me encontra com o cara ele tinha um pau deliciosominha mulher foi viajar e eu fiquei com minha entiada que queria sai eu falei para ela ela so sai se mede o cuzinho e goza na boca delasou professora e tenho a bunda gigante contosconto erotico festaconto gaguei mas gostei de dar o cuParaíba putinhocontos de como eu gritei quando me foram ao cuconto porno pai gravida filhacontos gays/sendo chantageado e levando ferro a forçacontos amiga da sogracomo chupar o pau do meu marido e fazer ele gozar lejeiro e gemer mais que tudoconto eroticos de garotosestava dopada e acordei com a buceta cheio de porra contocontos eroticos, minha tia e meu cavalo O primo do meu marido é meu machohomens velho gay contosEngolindo a piroca do irmozinho contoseroticoscontos eroticos minha mulher cada ves mais depravadacasada com roupas provocantes contos eroticos sedutoresconto gay clube dos cuecasvideos fotos d sexo loirinha dormindo de calcinha fio dental sendo encostadwww.contos encoxando caminhoneroContos corno mansocache:NCvA3Q684K4J:tennis-zelenograd.ru/conto-categoria-mais-lidos_4_10_incesto.htmlcontos mulheres que gostam de ser preenchido no cuzinhoxv¨ªdeo novinha da no estacionamento meu cuzinho contraindo no teu pauConto sou uma vagabunda com fotosconto erotico silicone .novo da mamaeArromba essa puta soca essa rola na minha buceta me fode contoscontos eroticos de casada levando jatos de porra do comedorconto de sexo velho taradohttp://tennis-zelenograd.ru/conto_8496_a-salva-vidas-e-o-garotinho.htmlcontos gozando dentro tia feriaseu e minha cunhada lesbica fizemos um bacanal com sua irma e mae incestovizinha teen contocontos eroticos gay fui enrrabado apanhei e gosei com um desconhecidoSou casada fodida contocontos mamae mim ajudou com o pirozaocilindro meloso gostosoContos erótico,comi a minha ex mulherconto erótico corno de mendigocomo é q faz pra uma mulher bater uma ciririca sozinh pensando em outra mulher???Contos de mulheres que pegam marido com travestimulher batend sirica at espirar