Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

FILHINHO DE PAPAI III: AULA DE REFORÇO COM TIO ALE

Eu ainda estava sob o efeito das transas com papai (vide "Filhinho de Papai I) e com meu padrinho, Alessandro (Vide "Filhinho de Papai II) e imaginava uma forma de colocar meu pai transando com seu irmão mais velho quando recebemos a notícia de que o irmão caçula deles, Tio Alexandre, também chegaria lá em casa para passar uns dias. Dessa vez meu cuzinho de 19 aninhos piscou feito um louco, pois já que eu tinha dado para papai e para meu dindo, dar para o tio Alexandre seria uma possiblidade e tanto.

Minha vida estava uma delícia: pela manhã, logo que papai ia para o trabalho, dindo Alê me enrabava deliciosamente, com aquela vara cheia de veias saltitantes; à tarde, eu ia para a escola, mas não me concentrava em nada, pensando na trepada que tivera e na que viria; de madrugada, papai adentrava no meu quarto e fazia o serviço de pai preocupado. Nessa época, minha mente pensava em como ter aquelas duas varas no meu cu ao mesmo tempo.

Alguns dias depois, tio Alexandre chegou: era loiro, 30 anos, forte, estilo garotão. Um sorriso cativante e uns olhos verdes de enlouquecer qualquer um! E que pinto!! Pela calça jeans já dava para perceber que ele tinha uma senhora mala!!!

- E esse garoto, como vai? - Tio Alexandre me disse isso e me deu um abraço. Me fiz de molinho para ele me levantar no colo. Ele me levantou e, de imediato, meu pinto deu sinal de vida. Acho que ele percebeu, pois me olhou de um jeito diferente.

Com a chegada de Tio Alexandre, meu dindinho saiu no prejuízo, pois nossas transas rarearam muito. Ele chegou ao extremo de, uma tarde, me esconder no porta-malas do carro e me levou para um motel, onde transamos loucamente.

Papai continuava frequentando meu quarto à noite, religiosamente.

Em função de tantas estripulias sexuais, meu rendimento na escola caiu bastante, e, em função disso, fiquei de recuperação em Matemática. Tio Alexandre era um craque em Matemática, e, em função disso, papai pediu-lhe para me dar umas aulas de reforço. No dia da primeira aula, papai saiu e levou meu dindo junto, ficando somente eu e tio Alexandre em casa. Fazia muito calor, e logo eu bolei um plano.

Quando fui para a sala de jantar, para estudarmos na grande mesa, fui vestindo apenas uma bermuda que eu tinha, bem apertadinha, que deixava minha bunda deliciosa (pelo menos, é o que papai diz). Percebi que Tio Alexandre ficou perturbado, mas se conteve. Sentei-me ao lado dele e ele começou com as explicações. Fiz uma carinha de quem não entendia (sou um átimo ator) e comecei a chorar.

- Oh, meu lindinho, não fica assim...

- Ai, tio, eu não vou dar conta de aprender isso... - e desatei a chorar.

- Calma, lindinho, senta aqui no colo do tio...

Era o que eu queria. Me fiz de inocente para me sentar no colo dele.

Assim que me sentei, ele continuou a explicar a matéria, mas percebi que ficou muito ofegante com o contato dos nossos corpos.

- Tá muito quente, tio. Vamos ficar sá de cuecas.

- Como?

- Vamos ficar sá de cuecas.

Nem bem terminei a frase, arranquei a bermuda e fiquei com aquela cuequinha branca bem apertadinha, que deixa meu pau e minha bunda bem marcados.

Titio pensou por um instante e tirou as roupas. Também estava com uma cueca branca e deu para perceber que sua vara era descomunal, bom como suas bolas (foi com ele que aprendi a ter tara com homens sacudos). Titio tentava disfarçar, mas seu pau estava meia-bomba.

Ele se sentou e eu, rapidamete,sentei-me no seu colo. Ele tentava me explicar a bendita MAtemática, mas os meus rebolados no seu colo o faziam perder a concentração.

Logo senti uma coisa me cutucando a bunda, e percebi que era o pau de titio. Virei-me para ele e disse:

- Podemos dar um tempo para eu chupar um sorvete, tio?

- Cla- cl- claro. - disse ele um pouco nervoso.

Fui até à cozinha e peguei um sorvete no copo. Sem cerimônias, sentei-me novamente no colo dele, sá que dessa vez de frente. Ele estava incomodado, pois sua vara me cutucava a bunda acintosamente. Fiz-me de inocente e, de propásito, deixei um pouco de sorvete cair sobre a barriga dele.

- Oh, titio, me desculpa! Vou limpar.

- Não precisa, gatinho...

Antes que ele pudesse se levantar, abaixei-me e lambi o sorvete em sua barriga. Pude perceber que ele revirara os olhos.

Olhei para cima e disse:

- Sabe, tio: quero um sorvete de outro sabor.

Dito isso, abaixei sua cueca branca e meti minha boca naquela vara descomunal. Lambia aquela cabeça grande e vermelha como se fosse um sorvete de morango. Que cheiro tem o pau daquele homem! E aqueles pentelhos!!!

- O que é isso, meu gatinho! Eu sou seu tio! Tenho 30 anos e você, 13...

- Tenho 12. Quer que eu pare?

Disse isso e bati aquele pauzão contra minha cara.

- Não, meu lindo. Não para não!!

Titio disse isso e colocou as mãos atrás de sua nuca, enquanto eu chupava sua vara maravilhosa:

- Chupa, meu viadinho, chupa! Chupa a vara do tio, chupa, putinha. O que você quer, hein? O que você quer?

- Quero sentir essas bolas batendo em minha bunda.

- Pois você vai sentir, meu gatinho.

Mamava o pau de titio como se fosse um bezerro nas tetas de uma vaca. Titio urrava feito um louco. De repente, puxou-me pelos cabelos e colou sua boca na minha.

A língua de titio era grande também, e nos chupamos como dois insanos. Titio mordeu-me o pescoço, os peitos e lambeu meu pau, já durinho. Levou-me para o sofá da sala e lá me posicionou de quatro.

- Que bundinha linda: dura, firme e redonda!

Titio mordeu-me a bunda e começou a enfiar sua língua em meu cuzinho. Devo dizer que, em matéria de chupar o cu, meu pai e seus irmão são imbatíveis.

- Ai, titio, chupa meu cuzinho, chupa!

- Vou arrombar esse cu. Você quer, putinho? Quer que eu e arrombe?

- Quero titio! come meu cuzinho, come!

Titio preparou meu rabinho mais um pouco e, logo depois, apontou aquela vra imensa contra minha portinha:

- Vou colocar, gatinho. qulaquer coisa eu tiro.

Titio foi colocando bem devagar. Eu fui suportando a dor inicial, pois sabia que, logo, viraria um prazer louco. Assim que aquela cabeça descomunal passou, a dor foi cedendo lugar ao prazer e, quando dei por mim, as imensas bolas de Tio Alexandre já batiam contra minha bunda.

- Eu vou bem devagar, gostosinho...

- Não! Mete! Mete com força, titio! Eu quero ouvir o barulho dessas bolas contra minha bunda!

Acho que sem acreditar, titio obedeceu. E eu gemia como uma cadelinha insana.

- Isso, meu macho, mete! Mete esse pauzão no meu cu!

- Eu vou te arregaçar, viadinho gostoso! Meu lindo!

Titio me comeu de quatro; depois se sentou e eu me sentei no pau dele. Começamos uma deliciosa cavalgada, enquanto ele me beijava a boca loucamente:

- Ai, garotinho gostoso! Se eu soubesse que seu cu era tão apertadinho e gostoso, teria vindo visitar vocês antes!

- Ai, tio! Que pau delicioso!

- Cavalga, gostos! Cavlaga na vara do teu cavalão aqui, cavalga!

E quanto mais titio me chamava de putinho e me mandava cavlagar na vara dele, mais excitado eu ficava. Acabei gozando sem tocar no meu pau!

Logo em seguida, titio encheu meu cu de porra, acompanhando um grito de prazer.

Fomos para o banho e lá ele não resistiu: me enrabou mais uma vez.

Quando papai chegou à noite e perguntou como fora a aula, eu disse que Tio Alexandre era um excelente professor.

Ainda bem que, de madrugada, papai não percebeu que seu pau entrou muito maiz fácil no meu cuzinho...

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto minha mae rabuda e eu meu paiConto erotico coroa pausudo so de sungao caipira xontos eróticos gayhttps://cheapjerseysfree904.top/celebritysexstories/conto_27481_que-briga-fudida..htmlconto praia de nudismo com a esposa continuacontos eróticos virei marido da minha irmãtia dando pro negao contomeu irmao come minha esposa eu confessocontos eroticos nupcias blogspotconto erotico amiguinho do meu filhoFilmei minha chupando estranhos na porta do carroseparei do meu marido e fui morar com minha irma conto eroticocontos eroticos meu marido sempre soubecontos eróticos crueldade com cornominha filha fudendo com nosso impregados contoscontos filha pequenacontos eroticos a forcaContos de sogras velhas crentes rabudas dando o cuMinha mae se produziu pra mim conto pornosmulher que ja sento no maior peni todo atoladocontos eroticos minha mulher me mandou pra farracontos minha esposa vigia a casa pra eu fuder a visinhawww.contos eróticos baixinho faz a gorda loira cagar a rola.com"relatos eroticos" piscina "cunhadas"conto erótico casada arrependida na noite de carnavalcontos eróticos velhos nebrocontos eróticos com fotos esposas estupradas submissasconto erotico minha mae 60 anosconto comido pela esposbjodelesbicaConto erotico de sobrinho com tia alicecontos eroticos engravidei de um velho e o meu marido nem desconfiacomi minha enteada fingindo que tava dormindo de pernas abertas contos 2018conto erotico bundinha de garotominha cunhada gosta de piroca grossa,contos e relatos eroticoscasadoscontosgayscontos eroticos tenho 23 cmcontos heroticos gay meu tio de dezessete me comeu dormindo quando eu tinha oito anosContos eroticos amante moreno amo meu irmão conto eroticocontos airoticos gay desmaiando no pau do padrastoNÃO AGUENTEI. VIREI AMANTE DO MEU FILHO 3cumi a bucrtina contos eroticoscacetes grossos dentro da xota contosContos gays estrupados na obracontos eroticos subrinhas virgemcontos eróticos meu aluno preferidocontos eritico papai colocou de castigoContos erotico ferias quentes cinco o retorno do titio pegadorhistorias de sexo eu e minha madrasta bia de raboconto erotico casada com dupla penetraçãocontos eroticos enchi a buceta da cunhada de esperma e ela ficou gravidaContos eroticos mae e filhos numa festa peladoscontos eroticos de enteadastrai meu marido com o amigo do meu filho porno contocasada foi brincar de esconde esconde e deu o cu casa dos contoscontos dando pra um sessentãocontos eroticos eu gravida com vontade.di fuferbaixinha conto eroticoConto comendo sobrinha inocenteQuero contos o meninho da pracinha no colocontos eroticos categoria estrupada por mas de umcontos eroticos a negrona Meireo amigo do meu marido mi.chantagiou e mi comeucontos fode-me paiComto erotico picanti de Padre lanbendo xanaconto erotico entrega domicilio"minha mãe virgem do cu relatos eroticos"conto erotico do viadinho de calcinha na casa do tioconto erotico gay coroa dominador castiga viado novinhoconto erotico mamãe sentando no meu colo no carro lotadocontos comendo cu.da.sobriha casadadando a buceta para o borracheiro contos eroticos gratisContos eroticos gratis de ninfetinha dando para casal parte2Contos eróticos garotinha com garotoscontos de filha novinhacontos lesbico radguei as calcinhas de minha maeContos eróticos Testemunha de JeováMinha prima viu-me a mastucontos eroticos comi minha vizinha ninfetinhaa forçaconto erótico casa swingmeu marido fez eu ultrapassar tds os limites contos pornoscomo o cheiro da maça contosconto erótico vesti uma cinta liga pro papaiconto gay minha madrasta me viu vestir as calcinhas delaContos eroticos os muleque e a mamaeensinei o meu enteado a bater punheta : contos eróticosvídeo pornô mulher casada fica cheia de tesão com a venda em Jarinuconto herotico engravidem uma branquinhapau cheiroso contoContos erótico de cdznha verídicodrixando a mulher do corno arregassadinhaconto na festa aqui em casa meu primo comeu minha maecontos incesto familiacontos lesbicos minha cunhada foi dormir la em casa seduzir etransamos submetido a chantagem para ajuda o marido contos eroticocontos esfrega buc gozada corninhomenina cabaco ralando a calcinha no pau do amigo