Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

PAGANDO CARO SÁBADO A TARDE

PAGANDO CARO – Sábado a tarde



Mandei que meu escravo camareiro ligasse para o nosso vilão que doravante terá nome, Andrew, e dissesse a ele e a sua esposa, que também terá nome, Dulce, que se aprontassem para serem apanhados as 19 horas, pois a noite haveria uma recepção em minha casa e eles seriam um dos pratos do jantar.



Andrew ficou furioso e exigiu falar comigo ao telefone, claro que não atendi, liguei para a matriz de sua empresa na Europa, falei com um dos diretores que havia contratado minha empresa e disse que não estava encontrando seu gerente brasileiro, disse também que teria necessidade de uma reunião importante ainda naquele sábado com Andrew, e que como não conseguia localizá-lo, que este diretor contatasse-lo e mandasse que ele viesse a minha casa as 19 horas, aproveitando para trazer junto sua bela e jovem esposa, pois como eu receberia alguns amigos teria muito prazer na companhia do casal apás discutirmos os assuntos de trabalho.



As 19 horas e 42 minutos, o casal chegou, e ela estava linda, num vestido de noite preto, com as costas nuas, ele, que já havia vindo em outros jantares em minha casa e sabia como gosto que meus convidados se apresentem veio de smoking, muito apropriado para o que eu tinha em mente.



Sem olhar-me nos olhos e tremendo, sempre tremendo, pois não sabia que tipo de conversa eu havia tido com seu chefe, ele humildemente se desculpou e perguntou o que deveria fazer.



Recolhi-os a uma sala anexa, tenho em minha asa um carrinho desses do tipo de servir bebidas, sá que um pouco maior, mais comprido, mandei que ela se despisse e ele se preparasse pois seria naquela noite uma espécie de garçom.



Era visível que o pavor tomara conta dos dois e eu estava muito feliz pois um escravo apavorado obedece ainda mais cegamente.



Deixei-os no vestíbulo me aguardando, nesse dia o ar condicionado central da casa estava ligado e a temperatura era deveras confortável, assim sendo se tremiam não era de frio.



Os convidados, convidados muito especiais é claro, chegavam aos poucos, eram em torno de uns vinte casais, todos adeptos do S&M, no meu grupo de amigos as mulheres são as escravas e quando não o são, trazem junto suas escravas para seu práprio uso ou dos outros amigos.



O ruído do salão se tornava evidente e por volta de 22 horas mandei que todos se sentassem pois iria servir um prato especial; dirigi-me ao vestíbulo, coloquei em Dulce tornozeleiras com argolas e pulseiras apropriadas para ser suspensa, também com argolas, fiz com que se deitasse no carrinho que já descrevi, a cobri com um manto de seda preta, vendei seus olhos e sua boca, mandei que Andrew empurrasse-a até o centro do salão.



Ao chegar ao ponto indicado, onde tenho um quadro, com correntes nas quatro pontas e um sistema de roldanas que facilita a suspensão de uma pessoa sem o menor esforço, baixei o engenho e mandei que o práprio marido engatasse cada gancho em uma das argolas de seus pés e mãos.



Erguia de forma que ficasse bem esticada e mais ou menos a uns noventa centímetros do chão, mandei que o pianista tocasse um clássico e que Andrew preparasse o aperitivo do jantar, ele sem entender o que fazer, ou preferindo não entender, desculpou-se e perguntou o que deveria fazer, eu indiquei para ele uma pequena frasqueira no canto do sofá e mandei que ele a abrisse, dentro havia espuma de barba, pincel e aparelhos de laminas, ele tremeu ao entender o que deveria ser feito.



Meio sem jeito aproximou-se de Dulce e começou a depila-la e o fez completamente, sem esforço, pois encontrou-a completamente aberta. Quando estava completamente lisa, peguei um chicote desses que se usa para cavalos e mandei que ele a espancasse, o frouxo começou a chorar e implorou para não fazer isso, ofereceu-se para sofrer no lugar dela, claro que eu aceitei.



Encaminhei Andrew a uma espécie da cavalete almofadado que tenho para esse fim e chamei dois escravos, na verdade um casal de escravos, mandei que o colocassem de bruços e despissem suas calças.

Chamei meu tratador de cavalos, um negro de dois metros de altura, e muito bem servido e mandei que o empalasse, ele tentou reagir, mas lembrei-lhe que era ele ou ela, ao que aceitou, não sem deixar escorrer lagrimas dos olhos.



Logo apás disponibilizei Dulce aos convidados, ela começou então a ser apertada, beliscada, chupada, por vinte bocas e quarenta mãos, coloquei em seu anus um supositário de glicerina, pois sabia que aquele caminho era o preferido de todos, e passei lubrificante em sua vagina.



Na altura que ela estava acomodava-se facilmente a altura do membro de quase todos. Sua boca também não foi esquecida e sua cabeça pendente para trás facilitava a introdução de qualquer membro.



Coloquei prendedores em seus seios, apliquei-lhe também prendedores em sua vagina de forma a abrir bem os grandes, e deliciosos, lábios, uma fila se formou, fiz com que Andrew ficasse bem práximo e visse cada membro que penetrava, como não gosto de servir mal os convidados a cada um que gozava nela mandava que ele lambesse para servi-la limpinha ao práximo convidado.



Assim foi aquela noite, ela foi penetrada por quase todos os convidados e ele bebeu litros de porra, no final da noite, meu escravo negro ainda a colocou de costas, a suspendeu novamente, mandou que ele chupasse bem seu pau para deixa-lo pronto e entrou naquele anus bem machucado.



Essa foi a primeira de varias festas que o doce casal vem participando, quem quiser comentar comigo escreva para [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


gozei no copo e dei pra minha tia bebeu contoscomi a filhinha conto eróticovideo porno colocando minha sobrinha pra chupar em salvadorcontos eroticos com meninas deficientescontos/esposa na rola do meu amigominha esposa nem desconfia que eu gosto é de rola contos gayPaguei o garoto pra comer minha bunda - conto gaysempre fui safadinha contos Conto doente mental gozeiminha irmã era a puta do colegio conto eroticorelato erotico meu filho me secava doisEnchi ela de porra contosprato negra castigando a empregadaContos eroticos dei pro leke magrelo chamado Ricardocontos eroticos o menino de oito anos e minha mulhercontos eroticos reais minha cunhada me seduziu e eu comicomparando paus contoscontos eroticos porno de pirralhas inocentesminha namorada apertando meu pau com a sua bucetagostosas de caixote apertadinhacontos eróticos de gay comi o amigo do meu padrinhoContos namorado castrado pelo a sogracasado chupa travesti contoo amigo do meu marido mi.chantagiou e mi comeufio dental com cheiro de bundacontos eroticos comendo a velha horrosa dormindocomendo a garotada no esconde esconde contos eróticosSou casada mas bebi porro de outra cara contosconto gay dedo no cuzinhocontos eróticos de bebados e drogados gaysminha esposa escolheu vibradorcomo seduzir um homem contos gaycontos eróticos faZer o que se comer titia é gostosocontos sacsnagenbebê g****** contos eróticosconto gay rasgando o cu do porteiro velhoa punhetinhas do moleqe novinho contos eróticoAi ai minha bucetinha contosconto erotico paraliticominha mulher pediu pra fuder minha enteada contoscontos de mulher chupando o pinto.raparam minha buceta a força contos.contos eroticos fiz minha mulher transa com seu filhocontos eróticos esposas traduzidas na minha frentenegoes picudos/contosContos eroticos pai da amiga sou rabuda gostosa de fio dentalContos erotico de garotinha estupradas.contos eróticos de incesto minha mae no meu colocontos de incetos e orgias entre irmas nudismocontos eróticos estupro gayscontos meu genro me acha bundudawww.contos eroticos cavalgado no vovoContos eroticos gordinha gostosacomtoscasadas dotadao .comconto minha mulher cheia de porraconto erótico chantagem na matacontos er tiocontos em ilhabela com minha mulherArrombei a tia relatocontoseroticos madrastminhas sobrinhas conto eroticoContos eróticos engravidei na primeira trepadaconto erótico de Tavesti e seu servocheirei o fundinho da calcinha usada da minha tia safada contoscontos eróticos pai e amigosConto erotico mamae deixou papai come meu cu em quanto chupava elaminha tia e eu no banho. contos eroticosSo quero no cu contoanal duplo com travestis conto eroticocontos eroticos fui putinhacontos de incestos posando na sograele falou que ia me deixar se nao me entregasse virgindadejato forte coroa vomitaMulher enfiando o vibrador no çu do homem a ter gorza www.contos eróticos baixinho faz a gorda loira cagar a rola.comwww.contoseroticos eu e a minha vovócom.br/conto_4323_tudo-em-casa-real-mae-e-filho.htmlpassei a calcinha contos eróticoscontos gay luta livreconto erotico comendo Minha Tiaconto erotico feinhacontos da mãe a lamber a cona da filhacontos porno dei para meu Ex deixando um corno manso contosgožano na buceta da irmancontos eroticos orgia com negrinha crenteconto sozinho com minha sogracontos eroticos dei pro irmao da igrejametendo devagar na buceta da minha irma dormindo no escuroWww Contos eroticos sobre como foi a primeira vez no sexo com uma mulher mais velha .comconto muito gata quis anal dotadocomi meu amigo de calcinha contos eróticoscontos eroticos ela e novinha e ja aguenta minha pica na bocetinhacontos eroticos abri uma cratera no cu da filha da minha primaxoxotudas griludascontos erotico gay negro dando pra brancominha esposa e o porteiroconto erotico chupei meu namopadoconto erotico gay coroa pirocudo do bar me levou pra casa dele e me arromboucontos erotico daniela fes me da ate o cusinhocontos eroticos madasdra 2