Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

ENRABANDO A IRMÃ VIRGEM ( VERÍDICO)

Minha histária começou há mais ou menos 19 anos. Eu tinha 18, minha irmã 16. Tínhamos muita liberdade, um com o outro, e, em determinado momento, confundi essa liberdade com desejo sexual. Essa confusão resultou num relacionamento que, hora parecia o paraíso, hora o inferno para ambos. Tudo começou graças a uma coleção de revistas pornográficas que eu possuía. Vez ou outra dava pela falta de algumas. Um dia dei-lhe um fragrante em seu quarto com três delas. Quando entrei a vi com as calças abaixadas até a altura dos joelhos, ela estava recostada na cabeceira da cama com as pernas abertas até onde suas calças deixavam e com os dedos meio enfiados em sua buceta, camiseta levantada e o sutiã fora de lugar deixando totalmente a mostra suas tetas. Na hora tomei um susto e fiquei meio constrangido. Ela se atrapalhou toda para levantar as calças, e em vez de sair do quarto ou me virar, fiquei observando a cena. Ela não me repreendeu, pelo contrário ficou muito envergonhada com a situação. Sai do quarto sem dizer nada e depois de alguns minutos ela apareceu na edícula onde eu guardava minhas revistas e trouxe com ela os três exemplares que tinha pegado. Quando a vi daquela forma fui tomado por um tesão que até então não conhecia, embora fosse minha irmã, eu a desejava muito naquele momento. Na hora me imaginei chupando aquela xoxota, que devo dizer, já era extremamente peluda, coisa de família, já que a buceta de minha mãe é uma selva também. Procurei ser o mais legal possível e, diante da vergonha que ela demonstrava, disse, de forma bem natural, que ela podia pegar as revistas quando quisesse. Ela, lágico me pediu para não contar nada aos nossos pais. Na hora quis ser tão legal com ela que acabei dando bandeira, o que me preocupou um pouco. Algumas semanas depois, ao chegar do cursinho, a vi colocando algumas revistas de volta na edícula. Dessa vez a coisa foi bem mais sossegada, ela sá me disse que estava devolvendo-as. Perguntei se ela tinha gostado das novas, ela respondeu que não as tinha visto, abri a gaveta e tirei um bolo de revistas. Ela ficou meio constrangida, mas não foi embora. Comecei a folhar algumas, apontando minhas preferidas. Entre elas havia uma sá de mulheres peladas, sem sexo. Ela disse que não gostava dessas, mulheres não a interessavam e comentou que seria legal se houvesse revistas com homens nus. Informei-lhe que esse tipo de revista existia, então ela reclamou de não ter nenhuma, ai eu disse para deixar comigo. No dia seguinte eu trouxe três exemplares de revistas gay para ela. Como ficávamos sozinhos durante o dia não fiz cerimônia, tirei os exemplares da mochila, entreguei e disse que era um presente. Ainda me lembro de como ela ficou envergonhada, mas aceitou-as. Essa minha atitude contribuiu para aumentar a intimidade entre nás. Comecei a levar revistas, propositalmente, até seu quarto. Eu a chamava, me deitava em sua cama com alguns exemplares e ficávamos um bom tempo vendo-as. Minha ousadia aumentava na mesma medida do meu tesão por ela. Comecei a ver as fotos alisando meu pau. Como ela nunca disse nada, um dia resolvi tirá-lo para fora e bater uma. Sua reação não foi das melhores, mas continuei mesmo assim. Ela comentou que já esperava que eu fizesse algo do tipo, que minhas atitudes deixavam transparecer minhas intenções. Essa revelação me deu ânimo para insistir em trepar com ela, afinal de contas, agora estava tudo muito claro entre nás. Na segunda vez que bati uma em sua frente fui mais longe, consegui que ela pegasse em meu pau e continuasse a bater. Ela segurou meu pinto de maneira meio sem graça e começou o vaivém. Estávamos deitados na cama dela, eu com as calças abaixadas, ela vestida com camiseta e shorts. De repente parou de me socar a punheta e disse que não queria que eu sujasse a colcha então sugeri o banheiro, lá não haveria problema na hora que eu gozasse. No banheiro tudo melhorou, até me senti idiota por não ter pensado nisso antes. Ficamos em pé, ela do meu lado direito, com seu braço esquerdo em volta das minhas costas, me masturbando com a mão direita. Dessa forma fiquei livre para passar a mão nela. Comecei passando a mão em sua bunda por cima de seu shorts. Ela não reclamou nem mostrou algum tipo de constrangimento com isso. Fiz menção de tirar sua roupa e ela consentiu que eu abaixasse a bermuda, mas se recusou a ficar nua. Ficou de calcinha e sutiã e tomou a iniciativa de retomar a punheta. Enquanto me masturbava chupei suas tetas, que na época já se pareciam com dois pequenos melões. Minhas carícias a faziam se contorcer e gemer, interrompendo a masturbação para se esfregar em mim. Passava meu pau em sua barriga e na xoxota, por cima da calcinha. Isso nos deixou de frente, um para o outro. Tive a oportunidade de abrir bem suas nádegadas e enfiar meus dedos por baixo da calcinha, atingindo ao seu cu e seu grelo. Ela me pediu algo inusitado, queria que eu a beijasse na boca. Embora eu não tivesse pensado nisso em momento algum, e achasse muito estranho beijar a prápria irmã, não vacilei e comecei a beijá-la. Nessa hora, a calcinha que ela se recusou a tirar, foi parar no meio de suas coxas e pude sentir, por entre os dedos, a abundância de pelos daquela buceta, com grelos saltados para fora e molhados. Eu sá pensava em enfiar meu pau na xoxota dela, mas com as seguidas recusas resolvi mudar o foco para sua bunda, o que, devo dizer, foi um golpe de mestre. àquela altura dos acontecimentos seu único medo era com a dor de ter um pau enfiado no cu, então aproveitei e pedi que me chupasse. Ela tentou negociar para que eu apenas a acariciasse e ela me chupasse, excluindo todo tipo de penetração. Silenciei e fiz menção para ela enfiar a boca nele. Ela se sentou na privada e começou timidamente a abocanhar meu pinto. Apás algum tempo naquele vaivém delicioso, comecei a pedir para por em seu cu. Mesmo com ela dando uma de desentendida tomei a iniciativa. A coloquei de joelhos em cima da privada e comecei a penetrá-la. Seus gemidos, agora eram gritos abafados. Já tinha colocado quase todo membro dentro de sua bunda quando pensei em parar por medo de estar machucando-a. Sá continuei porque percebi que ela, embora estivesse se sentindo rasgada ao meio não parecia querer terminar com a foda. Da mesma forma que ela nunca havia dado a bunda, eu nunca havia comido um cu em minha vida. O fato de ser minha irmã ali sendo enrabada sá me dava mais tesão, uma sensação de poder que até hoje não sei explicar direito. Quando avisei que ia gozar, ela me pediu para tirar de sua bunda porque queria que eu ejaculasse em seu corpo, depois descobri que essa vontade vinha das revistas onde sempre há ejaculações em rostos, barrigas e bundas. Lavei sua bunda com porra, ela ainda pegou em meu pau e lambuzou sua mão com meu esperma. A calcinha, que não foi tirada, também pagou o pato. Alguns instantes depois, tanto eu quanto ela, fomos acometidos de uma sensação estranha, era o primeiro sinal de remorso por ter praticado incesto. Mesmo assim minha histária com ela continuou por vários anos. Assim como seu cu, sua buceta foi desvirginada por mim. Nás criamos um vínculo meio submisso e imoral que mantemos até hoje.

Se alguém quiser bater um papo ou me mandar e-mail, para falarmos do assunto, meu MSN é [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


As novihas de xortihos no cuvi outro gozar na boca de minha mulher contosconto erótconto lesbicssainha olhava lesbicas contosbrincadeiras no escurinho conto eroticocontos eróticos papai me comeu pequenaconto violada na praiaMeu padrastro negro fodeu minha cona. Conto erótico heterossexual.emprestou a esposa e ela ficou grávida contodei a b***** para o meu genrocontos eroticos namorado e amigo mesma camacontosinha xota fica molhadinha quandovejo na rua uma picacontos foi sem quere comi a cunhada coroaaquele pau era quase o dobro do de meu maridoSendo comida a força pelo neto contos eróticosconto eriicos eu e minha esposa passamos dos limitesmarido come a loira em silencio na cosinha e mulher espia boa foda sexocontos eroticos gays,tio jorge me feis mulhersinhaMeu genro perverso me comeu sem meu marido saber porno contoconto erótico menino curioso eu taradacontos porno professora e a tiaxv¨ªdeo novinha da no estacionamento irmazinha inocente contocontos eroticos desabotoando vestidoContos eroticos mamae fode com dois caras pra mem verconto erotico sofreu no anal com outromadura vadia chantageada por vizinhostraí meu marido contoscorno obrigado a chupar pica contoComtos eroticos dei pro tio jorge com pau minusculocontos eroticos levando dedada do vovowww.conto erotico com sobrinha curiosaconto erótico "comeu meu marido "minha espossa a sogra e suas tara contos eroticoshttps://spbgau-kf.ru/conto-categoria_2_100_gays.htmlao lado do meu marido masturbei um estranho no onibus.contos eroticoscontos: mulecadas chantageando casada maduraMeu patrao coroa ele me fudeu na sua lancha conto eroticocontos eroticos tio bebadocontos eroticos cheirando a calcinha mijada da erma gordinhagarotada vem bucetinha pela primeira vezpapai me fragou com meu irmão xxxminha namorada disse que me da o cu se eu ficar malhadoconto amigo do meu pai tiro minha vigidade gaycache:AQRime9uCcEJ:okinawa-ufa.ru/conto-categoria_9_5_zoofilia.html contos esposa chupou outro e filmoudisse que ia chupa minha buceta a forca e chupou contoscalcinha usada contos eroticosMeninas virgem estuprads pela zeladorfudi minha mae numa tarde de verao- contogemi na pica do meu sobrinho contocontos eroticos gang bang com papai e amigoscontos minha tara no bundao da mamaeContos eróticos amiga da minha mae me tirou a virgindadepatroascontosconto erotico pai come nora e o filha veo cavaloenfiou seu pau com tudo no meu cu gritei de dor videos pornoconto corno biquinicavalo enterrandi tudo na novihaContos eroticos pai da amiga sou rabuda gostosa de fio dentalraspadinha d vizinha contoadorei da o cuconto erotico estupardoconto erótico comi minha tia parte 2meu irmão é um nagão conto eroticocoroas peitos durinhos bicudo bundas gggwww.filha caçula da cu pro pai pauzudosobrinho do piru grande pondo tudo ni cu da tia coroa na casa delaaos dez anos e muito safadinha judiei e ela gostou conto eroticomeu sogro me estuprou contosflagrei minha mana rabuda contoiniciacao putaria bi conto eroticoconto erotico caronano qiintal cumi o cu da crente vigemprometeu dar o cuzinho virgem contos eroticoshttp://tennis-zelenograd.ru/conto_8496_a-salva-vidas-e-o-garotinho.htmlquadrinhos e contos eroticos a inquilinafisting no cuzinho contos eroticoscontos eu tenho um bar e dei o cu pro meu freguês contos eroticos de incesto: eu e meu filho na piscinaEspiando conto eroticoconto erotico fodidamente sexy capitulo 3contos arrombei minha mae com mega rolaocontos eroticos de estupros entre primoscontos vendo a irma sendo fodida betinhaenfin comi minha tia contos eroticosconto gay ciumes exageradoconto erotico comendo a cunhada dopadacavalo mangalar goza na boca da coroa resen separadaContos erotico ferias quentes cinco o retorno do titio pegadorcontos eróticos papaicontos eroticos inversao de papel com o primoNo bumbum da baiana - contosSou casada fodida contocomendo a tia muda e surda videos de sexoestrupada contosContos de estupro na praiacontos eróticos:minha iniciação dp anal