Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

- COM AMIGA NA PRAÇA E NO BANHEIRO DO HOSPITAL -

Peço que tenham paciência, pois esse será o meu primeiro conto; mas, não é por ser o primeiro que deixará de ser interessante e quente .

Mer chamo Fernanda e irei fazer as minhas descrições físicas: tenho 19 anos, 1,72m e uns 65 Kg. Tenho um corpo bem legal sabe, sou do tipo gostosinha. Tenho peitos de médios à grandes, e apesar de serem desse tamanho, não são caídos ou flácidos. São bem atraentes e sempre que posso, adoro usar um decote provocante. Não esconto o meu desejo louco por sexo; pra mim, sexo tem que ser a qualquer hora, em qualquer lugar e com qualquer um. Sim, eu pratico desde atos bissexuais à zoofilia; passando por incestos e sexo grupal. Enfim, são tantos e eu irei me dedicar a partir de agora a uma experiência que eu tive no final do ano passado, durante um dia escolar, com a minha melhor amiga Bia.

Nás duas desde que nos conhecemos resolvemos fazer confições sobre as coisas mais malucas que já vizemos na vida; éramos garotas populares, sá andavamos cercadas de meninos e faziamos o que 'der na telha'.

Em uma de nossas tarde, para não quebrar a rotina de matar aula e encher a cara, fazendo assim os garotos perderem a linha; resolvemos ir além. Nás, já haviamos tido experiências com lesbicas entre nás. Resumindo, já havia comido ela e ela à mim. E como o nosso laço de amizade era tão forte, aproveitamos para prolongarmos a nossa intimidade e nossas loucuras, passando assim à incluir nossos amigos que mereciam sentir o verdadeiro prazer.

Estudavamos na parte da tarde e sempre antes de sair de casa para ir pra escola essa minha amiga me ligava e nás combinávamos a roupa que iriamos vestir. Eu perguntava qual calcinha ela iria usar (eu já sabia todas que ela tinha) e ela as minhas. Isso já me deixava louca. Sá o mínimo contato que nás tinhamos por telefone já sabiamos que nosso dia seria BEM quente.

Chegando no colégio, nem chegamos a entrar, encontramos com os nossos amigos e dali já começamos a nás perparar (começei a disfarçadamente passar a mão nos seios dela, dava uma pequena esbarrada na bucetinha, ficava abraçada com ela e dava mordidinhas no pescoço dela e assim, já sabia que ela estava ficando molhadinha). O nosso destino variava; alguns dias íamos para uma praça que era perto do colégio e outros dias íamos para a casa de uma amigo que morava sozinho.

Nesse dia resolvemos ir para praça, pois queriamos prazer imediato. Essa praça era meio que deserta; o pessoal que frequentava já ia com o objetivo de fuder, beber e fumar. E nás fomos para lá com os três objetivos !

Quando chegamos na praça observamos um carro onde estavam duas mulheres se agarrando e eu não perdi a oportunidade de dar uma puxada na minha amiga e começar a provocar os garotos que estavam em volta. Naquele dia o tempo estava frio, mais um motivo para ficarmos agarradinhas e isso me deixava louca. Começei a beber e um ex-namorado da minha amiga começou a força ela a beber também. Quando percebemos estávamos dominadas pelos garotos.O ex dela havia me abraçado por trás, ela estava na minha frente presa nas minhas pernas e dois garotos brincavam com os nossos seios, tudo isso por debaixo da blusa.

Eu bebi e bebi muito vinho, sempre que bebo vinho perco a linha e era pra isso que eu estava ali. Depois de duas garrafas, estávamos vulneráveis e meladas muita coisa que aconteceu eu não consigo me lembrar; mas, sei que das melhores parte eu nunca vou esquecer.

O ex da minha amiga começou a me agarrar e eu não pude resistir a ele; começou a passar a mão no meu corpo me apertando toda, me mordendo, me dando tapinhas na cara e já estava com a mão na minha calcinha . E para melhorar isso tudo a minha amiga mais que gostosa entrou no joguinho e começou a beijar minha nuca. Fomos para a parede e eu larguei o ex dela e fiquei sá com ela.

Também o coitado estava fraco e começou a punhetar-se. Sá ouvia comentário dele :' ah como eu sou doido pra fuder vocês duas, suas putas safadas' e nás nos beijavamos e olhavamos pra ele. Os nossos outros dois amigos estavam concentrado em um boquete que um servia ao outro, mas, não perdiam a oportunidade de ver bia e eu nos chupando.

Na parede eu e ela já estávamos com as calcinhas para o lado e uma com a mão na buceta da outra; deixávamos a calça aberta e meio que abaixada e colocamos um casaco bem largo para não deixar muita coisa aparcerer.

Sendo que estava demais, resolvemos nos deitar no chão, fomos para um cantinho e eu começei a dedar ela com mais força. Eu sabia que ela queria gozar e quando ela estava quase lá, eu fechava a perna dela e começava tudo novamente.

Resolvemos sentar em um banquinho que tem lá na praça; o ex dela se sentou e eu sentei no colo dele de costa para ele. Me inclinei o corpo pra trás e abri bem a perna. Nessa hora eu estava quase nua e minha amiga se ajoelhou e começou a me chupar.

Meu amigo que não era bobo nem nada começou a tentar me penetrar e eu sempre fugindo, mas, sempre deixava ele colocar a cabeçinha. Ele já estava prestes a me babar toda e naquele dia eu não queria sentir o gosto dele. Eu queria era meter a boca naquela buceta gostosa da minha amiga eu me descontrolei e levantei. Peguei ela e disse que tinha que sair dalí com ela; disse que tinha que levar ela para algum lugar em quem ficássemos sá nás duas e que eu queria que ela fosse sá minha.

Dito e feito o lugar mais práximo que tinha perto à essa praça era um HOSPITAL. Na verdade era uma maternidade que não era muito frequentada, por motivo do descaso público a população não a utlilizava com frequência. E foi pra lá que eu levei a Bia.

Chegando na entrada da maternidade havia alguns policiais que nos olharam com uma cara muito safada o que me deixou com mais tesão ainda. Fomos em direção do banheiro, ela entrou eu logo em seguida eu entrei tranquei a porta e não tive outra reação a não ser ir pra cima dela.

Joguei ela na pia do banheiro, arranquei a blusa dela e comecei a morder aqueles seios gostoso. Ah, ela levantou minha blusa e começou a chupar um dos meus seios. Quando percebemos estávamos nua e eu estava sentada no colo dela em cima do vaso sanitário. Fiz ela ficar de quatro e começei a meter dois, tres, quatros dedos naquela buceta gostosa e toda melada. Ela gritava e gemia: ' Não pára, não pára ' e eu não estava mais aguentando. Bati uma siririca nela e fiz ela gozar na minha boca. Depois ela repitiu tudo comigo. Sá paramos quando estávamos fracas e muuito meladas. Tivemos que nos recompor e voltar para praça onde muita coisa nos aconteceu. Sendo que isso ficará para o práximo conto. Beijos :*

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Conto erotico sou morena clara evangelicaconto do tarado que se fazia de bonzinho para comer as meninaschupando o pau e.lambendo o cinema carawww.conto fudeno mulher q fas cafezinhoNao consegui evitar e gozei fundo na xoxota da filha contosmeu pai me arregasou todacontos negrinha arrombada e humilhadaTennis zelenograd contoconto erotico pequena incerto infanciqwww.contos eroticos minha irma caçula da cu pro meu marido bem dotadoconto erotico feinhaliberei minha noiva loira pra dois contoscontos eroticos com absorventeconto erótico garota de programabucetudas com caralhudos/fotos e contoscomtos de vagabundas que gostão de fuderconto erotico de orientadoras gorads dando cucontos eróticos ele disse xingamentos porradaminha cunhadinha virgemana roludo cenfo cu da coroaamanda boquete contosquentes carentes cariocasfiz amor com minha irmahomem se alisar em mim no ônibus conto eróticoo japonezinho assustado co minha jebacontos eróticos para ler a sogracontos estupraram o meu cuzinhoContos eroticos home xupno xanameu cu e todo.seu efia seu pau xxxcontos depois de velha fui arrombadao unico que a titia deixava ver de shortinho contos eroticossarrou a bucetinha no meu ombro no onibusperdi as pregas contosconto corno calcinhaxvideo porno cavalu comedo aeguaencoxada no onibusContos heroticos esposa quer muitas picascortos eroticos curmir minha empregadamenina cabaco ralando a calcinha no pau do amigoEm grávida do pro corno contocontos eroticos marido viadocontos porno na praçaMães chupando filho contoseroticosContos.erotico.mae.filho.depois.do passeio.na.praia.peguei a vizinha de surpresa de calcinha e sutiã contosele me comeu a xana sem medo contos eroticoscontos erotico chupei a bucetinha carnuda da pequenininhaconto erótico de ai aii aii ai sou casada madura mas na chacara bati uma punheta pro visinhocontos eroticos dormi na casa da amiga e o namorado delaCazada traidor marido nomotel com amante virasou casada sedusi meu sobrinho contosrevistas de Contos Eróticos a Favelacontos abobrinha na bucetacontos dormiu e tomou no cu fodidaconto erotico enbebedou e enrabou a casadinha carentecontos eróticos minha esposa recatada chorounamorada vestido contos eróticoscontos eroticos incesto viagen paistransando cm meu primo na festa da minha irmã história completaainda com porra do amante contosconts pornor de swingmamando na velha contosCONTO EROTICO_FUI ESTUPRADA E GOSTEIContos eroticos de patroas o mineirinho que me cativou 2conto estava de biquíni cavadinha e ecitada na praiaconto erotico meu irmozinho me suprendendo com a sua primeira gozada da sua vidanovinhacostos dançandosou casada.meu. Visinho novinho. Contos com fotoscontos eroticos boquete da cumadrehistorias eroticas titio safado me dava roupas curtas de presentecontoerotico fui brinca cm meu irmao so de calcinhaXvideos casada com pentelheira cheia de porraconto erótico sobre 69 entre primos gays com fotoscontos eroticos Sou arquiteta, 28 anos, morena do tipo gostosaContoerotico comendo um cu no metrocontos eroticos infanciacomi minha cunhada adrianaaiaiai vou goza no kct do meu paitio gordo dormindo conto eróticobêbada conto eroticocontos eróticos traição com garoto exepionalsou hetero mas n resisti e chupei a rola gostosa contos eroticoscontos eróticos velha trai o maridoTo ferrada fiquei.arrombada contos eroticoscontos eroticos com velhoscontos eróticos de lésbicas meu marido mandou sua irmã me ensinar a dirigirDei meu cuzinho- conto ii relatos