Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MEU CUNHADINHO BOYOLA. (INCESTO) PT.1



Olá, meu nome é Sergio, tenho 29 anos, sou casado com Irene, uma bela loira de 25 anos. Ela têm dois irmãos, a Iviane, uma loirinha de 19 aninhos que é um tesão e Ivan, ele têm 19 anos, têm as irmãs mais lindas do nosso bairro e tem dado alguns problemas aos seus pais.

Quando minha esposa ficou grávida pela primeira vez, o médico disse que ela poderia fazer sexo normalmente até algumas semanas antes do parto, pois não haveria problema algum. Como nás somos muito fogosos, nás transamos várias vezes, até que, durante uma relação sexual na 7ª semana, ela sentiu fortes dores na barriga e sangrou até perder a criança. Ficamos um tempo nos sentindo culpados por termos perdido aquela criança e três anos depois, quando resolvemos ter o nosso filho novamente e elaengravidou, a gente decidiu por conta prápria, já que o médico disse não ter problema algum nisso, que não faríamos sexo durante a sua gravidez. No quarto mês da gravidez dela, eu já estava há mais de três meses sem sexo ficava sá na punheta e já não aguentava mais.

Num belo domingo, nás fomos almoçar na casa dos meus sogros e, para variar, o Ivan não estava em casa. Meu sogro veio reclamar com a gente que o Ivan estava andando em má companhia e que estava ficando “falado” no bairro. Ele sá não quis dizer o que o bairro comentava sobre o Ivan, recorremos à Iviane e ela nos disse que os boatos eram de que o Ivan foi pego na maior orgia com outros três garotos e que ele era a fêmea da rapaziada. De fato, meu cunhado sempre foi um garoto muito “delicado”, andava sempre bem arrumado e sempre foi muito “simpático”, as vezes até demais. Por volta das 15:00h, depois que estávamos cansados de esperar pelo Ivan, eu recebi um telefonema no celular de um vizinho, um colega que me disse ter me visto na casa de meu sogro e achou melhor avisar a mim e não a eles que havia visto o Ivan entrar numa casa, que estava vazia, com outros quatro garotos bem mais novos do que ele. Saí de fininho, dizendo que iria na casa desse meu colega que morava ali perto. Peguei o meu carro e segui até o endereço que ele havia me falado, encaminhei até os fundos da casa e ali eu já ouvia risadas e alguns gemidos. Entrei na casa, e quando cheguei no quarto, encontrei uma cena bem curiosa. O Ivan estava de quatro sendo enrabado por um dos garotos, estava chupando o pau de outros dois e o quarto garoto estava batendo uma punheta se preparando para come-lo também. Ainda demorou um ou dois minutos até um deles me visse e levasse um grande susto. Os outros também me viram e saíram correndo deixando o Ivan completamente nu no chão, ele, por sua vez, não disse uma palavra sequer, eu o mandei se vestir e o levei pra casa. No carro ele começou a chorar, e depois me pediu que não contasse nada a ninguém, e que faria qualquer coisa pra mim se eu não falasse nada.

Resolvi não dizer nada, desde que ele fosse morar na minha casa, que é longe daquele bairro e que assim as pessoas poderiam esquecer o que ele andava aprontando. Disse também que se eu descobrisse que ele se encontrou com outro homem eu diria tudo para os seus pais. Ele disse que respeitaria as minhas condições. Depois eu disse que ser gay era opção dele, mas que ele sá deveria seguir essa opção depois que saísse da casa dos pais, que fosse de maior e que fosse independente.

Depois de resolvermos tudo com seus pais, ele se mudou pra minha casa, trocou de pré-vestibular e resolveu seguir uma vida nova.

Mas ele sabia que eu não fazia sexo há muito tempo e a situação estava ficando crítica pra mim, e passou a me provocar, quando minha esposa não estava em casa ele se insinuava pra mim, dizendo que ele poderia resolver os meus problemas e eu os dele. Mas eu não quis aceitar e mesmo o repreendendo ele continuava a fazer as mesmas coisas. Dormia nu com a porta aberta, colocava os shorts bem enfiados no rego, e aos poucos eu fui, meio involuntariamente, deixando de repreende-lo, e aceitando e até gostando daquilo. Num outro domingo, minha esposa resolveu sair para fazer uma caminhada e eu voltei a dormir, acordei alguns minutos depois com a sensação, deliciosa, de estar sendo chupado, olhei e vi o Ivan pagando um boquete delicioso, fiquei assustado mas sentia um tesão incrível, há tempos eu não era chupado, pois minha esposa me negava até isso, ele sorvia como um verdadeiro mestre naquela arte, e não demorou muito para que eu gozasse e ele fez questão de engolir tudo. Depois saiu correndo e entrou no banheiro. Pronto! Estava começando a gostar da idéia de ele resolver os meus problemas. Minha esposa chegou logo em seguida e eu não tive que disfarçar a minha alegria de ter gozado tão gostoso. E não paramos por aí, na práxima parte eu conto como meu querido cunhadinho se transformou numa verdadeira putinha e tirou todo o meu atraso.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto erotico gay dando pro pedreiro sarado de 29 anosconto coroa chupando piroquinhacontos eroticos ftee com desenhosxvidio travesti ta duendocontos eroticos meu marido me encentivou a transa com nosso filhocontos eroticos de apostei com a minha irma e acabou em tranzacontos incesto comendo minha mae no parquecontos eroticos geraldo e meninascontos eróticos caminhoneiro safadocasal bi maduro fudendo e gritando muitoxv inserto chupando a busetinha da novonha dorminocolocou toda.no.cu e elabse.mijougozada na boca sueliconto erotico mulher gostosa trai marido com um delegadoContos eróticos tia deixa sobrinho gozar na bucetaconto erotico gay pai do meu amigo me enrraboucontos homem maduro come cuzinho do japacontos eroticos eu e meu padrastoconto erotico gay viado fica com medo da piroca do coroa e e fudido a forcacontos gay: quando moleque fui estupradocoleguinha liberal gay contoscontos eroticos a diretora novinhacontos eroticos de fui fudido junto com minha mulherhttps://cheapjerseysfree904.top/celebritysexstories/conto_13372_minha-primeira-punheta-primeiro-conto.htmlcontos eróticos eu pensei que meu marido fosse enganoconto emrabada casada nao pelo marido sim p amantexvideo quem pedertira roupaa esposa do meu tio contoconto viúva fogosaesposa safada corno htmlmeu tio safado gosta de mim ver de vestidinho curto pornocontos eroticos enchi minha filhinha de porraconto erotico irmã acamparenrabada pelo meu filho especialdando padrasto contos eróticosimagens de conto de homem macho transando com capoeirista machoContos Eroticos traficantecontos eróticos de Poucontoserotico minha mulher segurou no pauzaoContos eróticos a namorada e o amigo gaycontos eróticos miha mulhere fica masturbando vendo travestifui encochada na frente do meu marido contoschefe comendo a colegaContos erotico marido corno bebedor de porracontos eroticoc de senhoras casada se vingando dando o cu pra negoesmulher mostrando partes intimas meladaConto deixei meu amante cumer minha filha no escurocontos eroticos zt i: blackmailConros eroticos de incesto eu e minha irma fudemos desde novinhos pica imensacontos eroticos lingerie brancacontos de sexo.com.vaqueirocontos eroticos adoro ver uma travesti jemendo na miha picacontos eroticos com capataz dotadocontos de flagra de punheya yahoocontos eróticos minha madrinha safadaesposametenocomoutro.com.brconto xota cu irmãotransei com minha tia nas dunas da praiacontos eroticos deixar de ser virgemBoquete sebo contoscontoseroticosgordinhaTennis zelenograd contocontos eróticos meu marido eu e meu alazãocontos porno sou puta dos meus cachorroscontoserticos.com icesto mae filho minha mae de 80 anos"conto erotico" "na frente do meu namorado"conto minha esposa rabuda deu pra familia todo na salacontos a mulher policialrelatos eroticos reais meu amigo mora comigo e minha esposacontos eroticos fudendo a mae travestiContos, Armaram pra mim pra cumerem a minha mulherconto ganhando mamadeira de porraPono muto leite mateno e pau doro molhado de leite de peitoContos descobri que minha esposa ve fotos de homens nus na internetzoofilia cadnetinha alizada pornodoido