Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

DEIXANDO DIANA COM ÁGUA NA BOCA

Apás aquela noite romântica a três, retratada no conto “Gatas angelicais a procura de um agarrão 2”, Guto, Helena e Diana dormem juntos na cama de Diana. Guto do lado direito da cama, Helena no meio e Diana no lado esquerdo. Todos sob um edredom bem gostoso, de algodão.

No sábado, por volta das 10:00 h, eles acordam. Diana e Helena preparam um gostoso café e todos se sentam à mesa. Eles conversam e dão boas risadas. Diana está apenas de calcinha cor de rosa, com detalhes em branco, tipo shortinho e uma camiseta branca bem comprida. Helena está de vestido simples e bem curto (de ficar em casa, bem à vontade, na cor verde clarinho). Guto está de cueca boxer branca e uma camiseta regata. Ainda estão sonolentos e cansados da noite que tiveram!

Diana diz que irá preparar o almoço, depois do meio dia, e pede para que Helena a ajude. Guto também se oferece para ajudar e ficam todos na cozinha mesmo, ainda conversando. Guto e Helena ficarão com Diana até domingo de noite, quando a mamãe, o papai e as duas irmãs mais novas chegarão de São Paulo.

Durante a conversa, Diana começa a contar algumas de suas peripécias.

Diana diz:

- Gente, sabe o que me aconteceu uma vez? Vocês não irão acreditar. Paguei um mico daqueles!

Guto e Helena:

- O que? Conta. Conta.

E Diana começa a contar.

- Eu estava voltando de São Paulo, à noite, por volta das 23:00 h, de uma quinta feira. Tinha ido de ônibus e deixei o carro no estacionamento do shopping, perto da rodoviária.

- Certo. Sei. Dizem Guto e Helena.

- Quando cheguei aqui na rodoviária, estava com fome e resolvi comer um salgado. Cheguei numa das lanchonetes da rodoviária, abri a bolsa, tirei a carteira, o dinheiro e comprei um salgado. A atendente da lanchonete, logo em seguida, me deu o salgado, enquanto eu ainda guardava o troco na carteira. Imediatamente, coloquei a carteira do lado da bolsa, no balcão, e peguei o salgado. Resolvi comer ali mesmo. Tinha um rapaz de meu lado. Até aí, normal.

- Claro. Claro. Dizem Helena e Guto.

- Eu estava cansada e preocupada, porque para chegar no estacionamento do shopping, precisava ainda atravessar a passarela que tem sobre os trilhos, do trem. Como já era tarde e aquela região sempre fica deserta, logo que comi o salgado, peguei a bolsa e saí da lanchonete. Estava indo em direção ao shopping. Gente, vocês não tem noção do que me aconteceu!

- Meu Deus, conta logo Diana! Diz Helena.

- Calma. Calma. Eita! Então, quando eu estava no meio da passarela, lá no alto, eu escuto um homem gritando. Eu olhei e ele acenava para mim. Eu estava sozinha na passarela. Avistei algumas pessoas perto do shopping, mas longe de mim! Eu gelei! O homem começou a correr na minha direção, subindo a passarela. Eu não sabia se corria ou se chorava, me tremi toda!

- Viu como aquela região perto da rodoviária é perigosa? Diz Helena para Guto.

- Mas continua, Diana. Minha Nossa Senhora! Exclama Helena.

- Por mais que eu apertasse o passo, eu estava de salto e não teria tempo de tirá-lo e correr. O Homem se aproximava rapidamente. Tudo foi tão rápido! Logo na descida do último lance da passarela, quase chegando a rua, ele me alcançou. Ele estava a mais ou menos uns 3 metros de mim e me disse:

- Moça. Moça! Espere. Tenho uma coisa pra você!

- O que você fez, Diana? Diz Helena, ansiosa para saber.

- Puta merda! Nossa! Que coisa! Diz Guto, ansioso também!

- Gente, eu estava gelada de medo! Ele estava muito práximo e eu com medo de ele me agarrar e abusar de mim! Acabei agindo por instinto, enfiei a mão na bolsa, olhei fixamente no olho dele, com a cara bem fechada e disse a ele, gritando:

- Olha, se você se aproximar de mim eu irei enfiar uma faca no seu pinto!

Ele parou e ficou apenas me olhando. Ele, também, parecia estar com muito medo. Percebi que ele segurava alguma coisa, pois as mãos dele começaram a tremer. Ele me disse:

- Calma! Calma, moça! Apenas quero te entregar a carteira que você esqueceu na lanchonete. É sá isso. Não irei lhe fazer mal. Calma!

Puta que pariu! Minha cara foi no chão. Tive vontade de sumir dali naquele momento. Queria achar um buraco e me esconder. (risos) Reconheci a minha carteira. Ele me entregou a carteira e disse que eu poderia seguir em paz, ele não iria me fazer mal. Então eu disse:

- Ai, moço. Ai, moço! Me desculpe! Muito obrigada!

Eu ainda estava tensa, tremendo, com as pernas bambas e sem saber aonde enfiar a cara quando peguei a carteira e guardei na bolsa. Ele ainda perguntou se eu precisava de ajuda. Disse a ele que não. Ele se despediu. Eu agradeci novamente e ele se foi. Fui para o estacionamento e depois para casa, ainda tremendo.

Guto e Helena se acalmam. Todos caem na risada! Ainda rindo, Helena diz:

- Graças a Deus que foi sá um susto! Você não existe, Diana.

- Isso mesmo. Diz Guto.

E continuam todos rindo da histária de Diana.

Seguem conversando.

Por volta das 12:33 h, Diana começa a preparar o almoço. Helena e Guto começam a ajudá-la.

Diana diz:

- Aaaai, eu adoro contos eráticos. Sempre leio na internet. Tem cada conto bacana e excitante. Vocês também gostam?

- Uau! Nás amamos, não é amor? Diz Helena olhando para Guto.

- Com certeza! Sempre a gente entra nos sites para ler. Diz Guto.

Diana diz:

- Nossa, tem contos que são muito bem escritos e excitantes. Muitas e muitas vezes eu fico nas nuvens lendo. Hum!

- Eu também adoro lê-los. Mas também prefiro exercitá-los! Exclama Guto.

- Aaaah, gracinha! Nás também. (risos) Diz Helena.

Diana:

- Helena, conte algum conto erático que você e o Guto tenham gostado? Diz Diana.

- Olha, são tantos! Deixe-me pensar...

- Aaaah, já sei! Eu posso contar um momento entre eu e o meu amor (Guto). O que você acha, Di? (Helena olha e pisca pra Guto. Ele sorri)

- Nossa! Que delícia! Quero ouvir. Conte...

Enquanto eles preparam o almoço, Helena começa a contar.

“Helena está se preparando, em sua casa, para mais uma noite de prazer com Guto. Passa sombra vermelho claro, e também o lápis, no contorno de seus olhos. Passa blush bem leve em suas bochechas. Passa um batom vermelho, combinando com suas unhas feitas no mesmo tom. Passa seu desodorante preferido e um sensual perfume.

Helena veste seu espartilho vermelho (que levanta ainda mais seus seios, deixando-os à mostra) e sua meia calça emborrachada. Detalhe: esta meia calça tem um recorte que vai da bunda até a vagina, deixando esta região à mostra. Uma meia calça confortável de vestir. Não esquenta no corpo. Ela ainda calça seu belo tamanco vermelho de sete centímetros de altura. Depois desta produção toda, ainda veste uma capa, em tom preto.

Helena verifica se a champanhe está gelada.

Ela está excitada! Tremendo de vontade, por baixo daquela capa. Ela ainda tem mais surpresas para encantar seu amor.

Guto toca a campainha. Dim-dom. Dim-dom.

Ela escuta e toma um susto! Sente seu coração disparar. Vai em direção a porta. Olha quem é. É Guto! Abre a porta...

Guto fica embasbacado quando a vê. Ele exclama:

- Nossa. Está uma delícia! Ti amo.

Guto dá um beijo nela, entra e fecha a porta. Ela o conduz até a sala. Ela pega a champanhe e Guto, prontamente, abre e serve para eles. Fazem um brinde! Tim-tim. Tim-tim. Bebem e beijam-se.

Guto está vestido com sapato preto, calça social preta, camisa em tom branco, cheiroso e perfumado. Barba feita, pele macia e olhar de desejo.

Eles se beijam e se deliciam. Guto está louco pra tirar aquela capa. Helena segura sua mão e pede pra que ele espere a hora.

Num dado momento, quando já estão muito excitados, ela empurra Guto contra o sofá, vai em direção a boca dele e o beija loucamente. Vai desabotoando aquela bela camisa e beijando, carinhosamente e com muita excitação, seu peito, sua barriga e segura cada vez mais forte as mãos dele, que querem de toda maneira tirar aquela capa. Helena beija ainda mais a boca dele. Ela tira a calça e os sapatos dele. Guto está de cueca preta. Helena tira o membro de Guto e com seus lábios macios começa a chupar. Sente-o crescer cada vez mais na sua boquinha. Chupa a cabeça. Engole tudo, sente-o cutucar sua garganta! De repente, ela para de chupar. Levanta-se e afasta-se uns metros. Ela limpa sua boca, enxugando a excitação.

Helena abre sua capa e revela toda sua produção. Guto fica doido! Elaine pega um pênis de silicone, cor da pele. Este pênis tem uma base que adere a uma superfície lisa, de modo que ela pode colocá-lo em pé e desfrutar deste prazer. Ela fixa-o no chão (piso frio branco e limpo).

Helena adora provocar Guto! Ela ainda pega outro brinquedinho, sem formato de pênis e começa a chupar e olhar pra ele. Passa-o em seu corpo, toca seus seios, põe no meio deles, chupa de novo. Passa-o ao redor da vagina, toca seu clitáris, chupa de novo e fica brincando por todo seu corpo. Sente a expressão de desejo e vontade de Guto por ela.

Helena se abaixa naquele pênis que está fixo no chão, ficando de quatro. Ela começa a chupar. Passa a língua na cabeça, enfia na boca, derruba saliva. Enfia na boca de novo, enfia até a garganta. Olha pra Guto enquanto chupa e vê seu pênis duro e grosso, querendo também a boca dela! Ela, então, pega lubrificante e passa naquele pênis de silicone. Ela se levanta, vai em direção a Guto, beija sua boca, desce até seu pênis ereto e enfia na boca. Chupa um pouco e para novamente.

Ela volta até aquele pênis de silicone, com o outro brinquedinho em sua mão, olha pra Guto e começa a se abaixar, sentando-se naquele pênis de silicone, no chão. Sente ele entrar todinho em sua vagina. Sente ele encostar lá no fundo. Num movimento de sobe e desce, Helena começa a cavalgar e gemer cada vez mais, enquanto olha pra Guto!

Helena geme. Geme. Enfia e tira da sua vagina. Chupa o outro brinquedinho que está em suas mãos. Aiiiii. Aiiiii. Seus olhos se fecham de excitação. Sua vagina está cada vez mais excitada e molhada. Sua boca está seca. Ela olha para Guto e começa a ter um orgasmo. Ahhh. Aiiiii. Guto não aguenta. Levanta-se. Vai em direção à fêmea deliciosa.”

Durante a narração de Helena, Diana fica ensopada. Guto de pinto duro. Helena completamente excitada. Mas eles se controlam. Estão preparando o almoço. Diana resolve esperar o fim do conto para começar a cozinhar o arroz. Guto e Helena dão risadas. Mas eles continuam a prestar atenção na narrativa de Helena. Um conto verídico entre Helena e Guto.

“Helena ainda está agachada no pênis de silicone e Guto dá seu pau pra ela chupar. Encosta na boca dela. Helena abocanha e começa a chupar aquele pau gostoso. Chupa seu pau enquanto cavalga no pênis de silicone. Guto segura a cabeça dela e enfia tudo na boca, até a garganta. Ela chega a soltar lágrimas dos olhos com o membro de Guto quase inteiro na sua boca! Sua maquiagem do olho fica borrada, dando um aspecto ainda mais sensual. Num sobe e desce cada vez mais forte naquele pênis de silicone e com o pau de Guto na boca, ela começa a gozar novamente. Aiii. Aiii. Ela está em êxtase.

Guto passa a mão nela, nos seus seios, na sua bunda, na sua barriga, segura seu rosto e enfia tudo na boca dela. Enfia fundo. Helena goza de novo. Que delícia isso, exclama Helena!

Ah, Guto não aguenta mais aquilo! Pega nas mãos de Helena e a levanta daquele pênis de silicone. Ela não larga o outro brinquedinho que tem em suas mãos. Ele a conduz até o sofá da sala. Ele pega o lubrificante e passa mais na buceta e no cú dela. Põe ela de quatro e abre suas pernas. Enfia seu pau na buceta dela. Ela geme. Geme. Geme. Já nem sabe mais o que está sentindo. Nem onde está! Guto de pé atrás dela enfiando sua pica na buceta. Guto tira seu membro da vagina e leva pra ela chupar. Ela abocanha-o. Logo ele tira seu pau da boca dela e pega mais champanhe. Eles bebem na boca da garrafa mesmo. Guto derruba champanhe no corpo dela. Molha-a com champanhe. Helena geme e grita com aquela loucura. Eles estão em êxtase!

Escrito por José Augusto Rissoni em janeiro2011.

Guto senta no sofá, puxa-a pra cima dele e enfia seu pau de novo na buceta dela. Ela geme e goza logo quando ele enfia! Enquanto ela está sentada e rebolando em seu pau, ele pega aquele pênis de silicone que ela segurava e começa a cutucar o ânus dela. Helena sente seu corpo anestesiado. Guto, então, começa a enfiar aquele pênis de silicone no cú de Helena enquanto seu pau está dentro da buceta. Guto abraça-a e vai enfiando carinhosamente no cú. Ela geme e pede mais. Guto enfia todo seu membro na vagina e o brinquedinho inteiro no ânus dela. Ela goza. Goza.

- Aaaai. Aaaai. Tá doendo. Tá doendo. Devagar. Mas não para, amor. Tá bom demais! Exclama Helena.

- Que gostoso isso. Que delícia. Exclama ela enquanto goza.

Guto não aguenta e diz:

- Amor. Vou gozar! Aaaah.

Guto tira, delicadamente, aquele brinquedinho do ânus de Helena. Depois tira seu pênis da vagina e oferece pra ela lamber. Ela se abaixa e começa a chupar. Sente o gosto de seu gozo naquele pau. Ela continua a chupar até que Guto começa a gozar na boca dela. Goza. Aaaah.

Saciados, eles deitam-se no sofá.”

Diana diz:

- Uau. Que delícia de conto. Vocês são quentes mesmo. Adorei.

- Que delícia, amor. Eu sei que você recordou um momento nosso, mas foi excitante demais. Diz Guto.

- Eu também fiquei excitada. Diz Helena.

- Mas precisamos continuar a fazer nosso almoço. Podem se acalmar, os dois! Hã! Vamos cozinhar. Diz Helena.

E assim, os três continuam a conversar. Contam histárias e curtem o final de semana juntos. Os três. Até domingo à noite, quando a família de Diana chegar. Em breve virão novas histárias. Muito obrigado pela leitura. Fique em paz. Beijos.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos maduras bundao cuzaofisting no cuzinho contos eroticosPolicial famenina dando a buceta pra seu cachorro em contoscontos eroticos fui comprar cerveja e.comeram minha esposacontos eróticos com vizinhameu irmão sempre goza na minha boca conto erotico irmãzinha nascendo peitinho contos eróticosmeu pedreiro comeu eu e meu marido contoscontos de sexo gay minha esposa viajou e dei com sua calcinhafui comida feito puta e chingada de vadiacontos eróticos meu filhoconto erotico minha esposa narrando como foi comidaXvideos casada com pentelheira cheia de porraconto eróticos putinha da famíliapornô mobili com coroa e vamos até gozarconto dei muita porra no cu de minha madrastaminha sogra deu o cu para o cachorro contover homens bem-dotados sendo castradosconto erotico amiga nao sei como aguentei 26 cm de pirocao do magrelinhcontoseroticos irmão virgem Contos eroticosm comendo a prima de calcinha amarelaPadrinho iniciando afilhada novinha contos eroticoscontos eroticos orgia com pretinha crenteContos eroticos tia dando sobrinhofilme porno traicao foi pescar e deixou a mulher sozinhaCunhada olhando o volume do cunhadogritei de dor contos eróticostava me masturbando e meu namorado chego e me chupouconto erotico loira casada aprendendo a trairminha cunhada quis que eu a visse nuaconto minha cunhada me surpreendeuxvidio mexendo na rola grosacontos eroticos de casada mastirba o amigo do maridoconto erotico mae zangadaconto de arrebentando o meu cu com a pica grandeme vesti de mulher e dei pro entregador conto gaycontoseroticos.esposa abudada no onibusconto erótico gay no cinemacontos eroticos feminização meninoa mae do meu amigo contoscontos eroticos de padrinhosContos eroticos de home casado perdeno o cabaso do cu com homes da rola grandeo maravilhoso mundo das bucetas tesudas gostozissimas ufa que deliriowww.fiquei louca quando vi a cueca do meu filho mrlada de gala contoescandalosa enrabada contoscontos a punheteira do papaixvideo mobile meu pai me castigouContos eroticos roludo comendo a bundinha da loirinha gostosinhaconto eróticos minha madrinha de infânciacontos ensinando novinha gozarcontos eróticos quando casei pedir por um descascador designar minha esposaminha esposa e caminhoneiros contoconto dei sonifero pra minha mulher dormir e outro comer elahttp://transei com filho do professor gay contos eroticos gayconto erotico fui pra fazer um teste pra trabalhar e voltei pra casa cm a buceta ardendo de tanto darEnfiando na bundinha ate eta sentirChorei mas aguentei dar o cu conto eroticoesposa seria bebada de biquini com o sogrodanada da minha cunhada louca pra darconto me insinuando pro meu paiconto adoro cu de casadaa puta mulher do meu irmão contos eróticoswww.contosdoprazer.comcontoscontoseroticos teen pauzaocontoerotico mae e filha as duas casadacontos eroticos subrinhas virgemesculachado por vários machos na frente do marido conto eróticoconto erótico o rabo da minha mãecontos incesto tiu do barcontos de incestos eu estava dançando funk De vestidinho curto e meu pai viu e não aguentou e comeu meu cuzinhoconto real casada moro na casa do fundoaencesto mae envagelicaContos eroticos comida por causa do computadorcontos eróticos gays limpeza na peleContos, eu convidei um foragido na minha casa e ele comeu a minha mulherConto erótico pelada escola conto erotico cumi minha namorada