Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

Na buceta não, amor, no cu... só quero no cuzinho!!

Cheguei em casa cedo da noite, 6 e 40, tomei um gostoso banho deixando a minha pele mais do que revigorada depois de um dia estressante de trabalho... e nua em frente ao espelho do meu armário, no quarto, eu passei minha toalha em meu corpo todo, me secando melhor... Sou loira, 1 e 60, corpo natural, rosados seios medianos de aréolas e mamilos vermelhinhos, uma xoxota sempre raspada e gordinha igualmente rosada e do grelo exposto e uma bunda tão redonda e empinada que chama a atenção em qualquer roupa que eu ponha...

Meu celular, em cima da minha cama, tocou... dei dois passos e o peguei... era o Marcelo, um carinha que eu tinha conhecido na casa de um casal de amigos, na noite anterior, e que aqui estava vindo me pegar para irmos a um encontro... nosso primeiro encontro... ele me disse que estava lá embaixo na portaria do meu apartamento, eu então mandei uma mensagem, falando: “Pode subir, a porta está aberta...”

Ainda de frente ao espelho, eu peguei um frasco de hidratante, despejei um pouco numa mão, esfreguei uma mão na outra e fui passando em cada parte do meu corpo a começar pelos meus rosados seios... sempre me olhando no espelho... por fim passei apenas na minha bunda... nas duas nádegas, devagar, massageando-as e meio virada para o espelho para poder ver minha bunda melhor enquanto eu a massageava... de repente eu escuto a porta da sala sendo aberta... era o Marcelo entrando, me chamando pelo meu nome, sendo que eu respondi: “Tô aqui, pode vir...” E assim eu vi a imagem dele no espelho no qual eu me olhava, trajado numa calça em linho preta, sapatos e camisa azul marinho de botões mangas compridas... porém, ele olhava apenas para a minha loira bunda redondinha e empinada, a qual eu massageava sutilmente...

Nisso eu virei meu rosto para ele e disse: “Entra... chega mais...” Ele veio já todo empolgado, me elogiando, e não parando de me olhar a bunda... e ao virar de frente para ele eu pedi: “Me mostra as mãos...” Ele me estendeu as mãos abertas e eu aqui despejei um pouco do hidratante em suas palmas... assim eu dei passos até a cama, coloquei meus joelhos nela e fui me pondo de quatro, ele arfando de tesão diante a visão maravilhosa da minha bunda virada e aberta pra ele, onde ele me observou a inchada buceta rosada entre pernas e o meu pequeno cuzinho de preguinhas bem rosadinhas entre redondas e aloiradas nádedas... porém, me deitei de bruços meio de pernas abertas, olhei ele por sobre o meu ombro esquerdo e disse: “ Vem... Passa em mim...”

Ele se descalçou dos seus sapatos e meias pretas e veio pra minha cama, vindo ajoelhado pro meu lado, sempre olhando pra minha vistosa e redonda bunda... e perguntou: “Nas costas toda?” E eu, de rosto direito repousado nas costas das minhas mãos juntas, deitada de bruços e espiando ele de perfil, respondi: “Não... quero só na minha bunda...” Se ele foi um bom entendedor... bem... assim ele colocou as palmas meladas de hidratante na minha loira bunda, em cada nádega, e assim massageou delicadamente, deslizando mãos para cima e para baixo, subindo e descendo os morros... e eu de bruços e de rosto nas costas das minhas mãos juntas, de olhinhos fechados, me arrepiando toda e pedindo baixinho: “Mais forte...”

Certamente ele estava de pau muito duro... me massageando a loira e redondinha bunda empinada... e a cada passada um pouco mais forte que ele dava com as mãos em minhas nádegas, elas se abriam e assim ele via não somente o meu cuzinho de pregas fechadas e rosadinhas, como logo abaixo, entre pernas, meu inchado bucetão igualmente rosado... ele perguntava: “Tô fazendo direitinho?” E eu, meio gemendo e de olhinhos fechados: “rrmmmrr... tá delicioosooorrr...” Ele foi se empolgando... massageando mais forte, se achando já o melhor massagista do mundo... onde as mãos dele estavam mais livres e desinibidas, indo a cima e abaixo, juntando minhas nádegas, arreganhando-as... e eu gemendo mais ofegante, sentindo os dedos dele escapulindo para entre minhas nádegas e raspando nas pregas do meu cuzinho, indo abaixo e grosando na minha buceta, e eu já bem excitada, pedi: “Tira a roupa...”

Foi questão de segundos e ele já estava nu... onde daqui deitada eu dei uma espiadinha no cacete dele... duro... e era uma delícia de se vê, do jeitinho que a minha bucetinha adora... continuei de bruços e pedi: “Me beija a bunda...” Ele foi se ajeitando e perguntou: “Cê gosta na bunda, né?” E eu: “Você me deixou com tesão... cai de boca, vaiiimmrrr... mmmrrr, iissoorr... beija a minha bunda toodaaarr... assiimmrr... mmmrrr, adoro carícias na minha buundaarr... aaaiimmrr... deliiiiciiaaarr... beija, beija, beeijaarr... rrmmmrr, passa a liinguaaarr... gosto de línguuaaarr... mmmrrr...”

Ele estava louco não somente por eu ter uma bunda gostosa e estar demonstrando gostar de carícias na bunda, como com o fato de ser aqui o nosso primeiro encontro... e ele de mãos nas minhas loiras nádegas lambia, mordiscava, chupava e beijava cada canto da minha bunda a cima e abaixo, quando eu então pedi: “Lambe meu cuzinho, laambiirrr...”

E claro que ele obedeceu, pois uma bunda como a minha sendo ofertada assim, e diante dele louco, tarado... ele se posicionou meio de quatro entre as minhas pernas abertas e estiradas na cama, e debruçou o rosto na minha bunda arreganhada pelas mãos dele, me tocando o cuzinho com a língua e lambendo, lambendo, lambendo... e eu toda arrepiada e me contorcendo sutilmente deitada de bruços, gemendo diante dessas deliciosas passadas de língua no meio da minha bunda, no meu rego... atiçando o meu tremido e ouriçado cuzinho rosadinho, enquanto eu toda manhosa, pedia: “iissooorr... aaiii deliiciiaaarr, assiimmr, assiimmrr, não tira a liinguaaarr, rrrmmrr, põe mais, põõõiieeerr, rrrmmrrr... aaiii como é booom linguinha no cuuurr... aaiiiimmrr, aaiiimmrr, aaii que teesããããooorrr... mmmrrr”

Ele ficou louco de tesão ao ficar provando do meu cuzinho por alguns minutos, me deixando roçando de bruços na cama e dando reboladas sutis na cara dele, que me segurava a bunda e me socava língua ou me lambia... porém, eu aqui suspendi meu corpo lerdo de tesão, toda arrepiada e ofegante, me pondo de quatro na cama e dando uma empinada de pernas abertas pra ele, toda cachorra, pedindo: “Me coomiirr...”Ele aqui me chamou de gostosa ao encarar minha loira bunda redonda por trás e já veio me segurando pelas ancas, de pau na mão direita e dando uma esfregada de falo na minha buceta... onde eu olhei para ele por sobre o meu ombro direito, e disse, ou melhor, exigi, toda manhosa: “Na buceta não, amor, no cu... só quero no cuzinho!!”

O filho da puta ficou impressionado com a minha ousadia em pedir no cuzinho no nosso primeiro encontro... mas enfim, foda-se, pois o que me importava mesmo aqui era justamente matar a vontade do meu cuzinho, que estava todo ouriçadinho e latejando de tesão, muito a fim, pedindo a rola, bem dentro, toda e bem gostoso... afinal, eu sou assim, quando o meu cu pede pica, eu tenho que dar para ele uma pica, e não é qualquer pica, tem que ser uma que saiba entrar gostoso, que se mantenha sempre dura e que me foda gostoso, sem sair de dentro e muito menos sem parar... só quando eu pedir pra tirar... o problema é que quando eu começo a tomar no meu cu, eu dificilmente peço que pare e que tire... adoro no cu, adoro... meu cuzinho chora de dor numa rola gostosa quando essa rola sabe fuder ele...

E já que ele deu aquela preparada gostosa no meu cu com tantas lambidinhas e socadas de língua bem dentro, fazendo meu rosado cuzinho ficar piscando todo ouriçado e estufadinho, eis que ele se ajeitou ajoelhado na cama atrás de mim, me segurando a nádega esquerda com a sua mão esquerda e com a direita empunhando seu rijo cacete, com o qual deu uma esfregada de falo no meu babado e lambido cuzinho e foi encaixando, e eu toda arrepiada e já dando aquela empinada safada de pernas e bunda abertas, pedindo toda manhosa, olhando para ele ali atrás de mim: “iissooorr... dá uma cutucadinha com a cabeça da tua pica no meu cuzinho, vaaiimrrr... mmmrr, assiimmrr... aaii que teesããoorr... adoro quando a cabeça da rola fica batendo no meu cuziinho aassiimmrr... mmrrr... agora colooca, vaaiimmrr... pode empurraarr... mas empurra devagar que eu quero curtir cada centímetro dessa tua roola gostoosa viindo pra dentro do meu cuuurrr... mmmrrr...” O cara estava louco... de pau doendo de tão endurecido... eu estava até com receio dele broxar devido ao excesso de tara pela minha bunda... mas ainda bem que ele não teve nada disso, pelo contrário, pois quando a cabeça da rola dele veio pra dentro do meu cuzinho, eu gemi toda manhosa e arrebitadinha de quatro, agoniada de tesão com a ardência em minhas preguinhas vindo, vindo, vindo para dentro: “iissooorr, põe maais, põõiieeerr... aaiii que deliiciiaaarr... vem mais, veeiimmrr, rraammmrr, fode meu cuuu, foodiirr, foodiirr...”

Daqui em diante foi só no cu... com ele atrás de mim, de quatro, toda aberta e sendo repuxada pelas mãos dele segurando minhas ancas e me socando, socando, socando, e eu delirando com o tesudo vai e vem da grossa e dura pica dele fudendo o meu cuzinho, onde nisso ele gemia conforme se deliciava com a sensação de estar com o pau extremamente endurecido no meio da minha redonda bunda loira, a qual ele vislumbrava por cima e gemia de tesão simplesmente ao ficar assistindo o vai e vem desse seu pau no meu cu... no meu delicioso cuzinho rosadinho:“Noosssa, gata, que bunda mais liindaarr, rraammrr, rraammrr, que deliiciaarr, aaiii caraalho, vô goozaarr, rraammrr, rraaammrr...” E eu, toda empinada, apenas delirava toda arrepiada e descontrolada de tesão com a varada ininterrupta que eu levava no meu cu, e assim fui sentindo nas minhas preguinhas entrando e sendo estufadas o aumento da velocidade do caralho dele, onde eu pedia entre gemidos: “mais foortiirr, mais foortiirr, iissoorr, iissoorr, assiimmrr, aaaammmrr, aaammrr, aaammrr, aaiii deliicia não paaraarr, foodiir, foodiirr, fooodiirr, fode meu cu, foodiirr, fode meu cuuurrr... aaii caraalhooo, que paulaada tesuuda no meu cuuziiinhooorrr...”

Ele me deu uma acelerada nesse entra e sai de pau na minha bunda tão forte, ao ponto de bater com força a virilha nas minhas nádegas, fudendo, fudendo, fudendo o meu cu, sem tirar de dentro, com a minha inchada bucetinha rosada toda molhada levando surra do saco liso dele conforme ele continuava me fudendo, fudendo e eu me descontrolando agonizada de espasmos e dor no cu, debruçando de peitos e cara na cama e ele ainda me segurando as ancas e me sapecando toda no cu, a essa altura já arrombado... e nossa, eu aqui mordia a fronha enquanto sentia as impulsivas virilhadas dele na minha bunda enquanto o meu cu era fudido, até que ele deu uma parada ao gozar dentro: “rrrrrrraaaaaaaaaaaaammmrrr”

Claro que ele se deliciou ao gozar dentro do meu cu... sendo que mesmo depois de gozar e diante de um surto de espasmos consumindo seu corpo suado, ele continuou a me socar no cu, domando minhas ancas... pois para ele era hipnotizante ficar olhando pra própria pica indo e vindo no meio da minha bunda loira virada pra ele, com o meu cu cheio de porra...

Adoro... adoro sentir um pau muito endurecido e ainda melhor se for imenso e grosso, todo no meu cuzinho... é um prazer diferente, claro que dói pra caralho, às vezes chega a sangrar, mas a satisfação que me causa é inexplicável, eu deliro, eu reviro meus olhos, eu fico arrepiada o tempo inteiro e com a minha bunda toda ouriçada... adoro no meu cu, adoro, adoro... em quase toda transa eu peço pra colocar no meu cu, pois meu cu acaba sentindo ânsia de rola, sim, meu cuzinho adora uma rola, ele pede, pisca descontrolado louquinho por uma rola toda dentro e sempre em movimento, fudendo, fudendo... adoro... gozo no meu cu tanto quanto na minha bucetinha, por isso que sempre quando quero, eu prefiro pedir: “Na buceta não, amor, no cu... só quero no cuzinho!!”

FIM!!

Oi, galera, me chamo Luciana, se vocês gostaram deste meu relato, deem uma olhadinha no meu site de contos. lá tem vários outros no mesmo estilo excitante, o nome do site é: apartamento69 – contos eróticos femininos, o link é: http://contosdeliciosos.esy.es ... Bom, muito obrigada e por favor, apareçam por lá!!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


vovozinhas esfreca buceta com buceta uma na outracontos centadas no colo do titio no incestoconto erotico menino com bunda de meninacontos eróticos com o genromulher sobe em cima da pica do manequimporno minha mae recebe massagem e aventuraConto erotico dois casais contos eróticos fio dental debaixo do ternocontos viado arrombadominha mae bunduda amanteContos incesto tia casada gravidaContos eroticos primeira vez no puteirocontos eroticos dei pro meu inquilinocontos eróticos amigo velho do meu marido comeu meu cuReatos de incesto mimha rola de 36cm filha de diplomatas contoEscrava forcada zoofilia contoscrossdressing miudinhacontos de casadas o negro desconhecido me arrombouContos erocticos dei comprimido ao velhocontos - sobrinha tomando leitecontos eroticos engravideicontos eroticos dividindo a spoza com Sr de idade ns praia brcontis eroticos gay policial Chapadome.comeram minha bundinha pequena.chorei muito contosconto erotico meu filho me chapougoatosa do ra rabao contoshome afuder mulher com penis mais grandecontos eroticos festa a fantasiaConto incesto minha mae me ensinou a fuderContos porno de adolecentescontos eróticos, gosto de sentir o esperma escorrendo dentro do meu cuPrepara a sua mulherzinha pra dar o cuzinho para aquele cacetão ali!”,contos eróticos verídico com mulheres na punheta no maridoeu minha irma e meu padrasto na camaconto erotico mulher do meu sonho seios ggaregasando a b da ncontos eroticos eu e minha esposa jogando baralho erotico com meu amigo e sua esposapirocão cabeçudo vermelho contoscomtos xxx imcesto mae crente maniacaaiaiai vou goza no kct do meu paiminha prima malcriada contoConto er cu arrombadoconto erotico esposa carnavalContos descobri que minha esposa ve fotos de homens nus na internetwww.conto erotico transado com a colega da faculdadecontoerótico mulher negra pretaconto rebolo pau meu cunhadocanto erótico meu marido viajou ficou em casa eu e minha filhaconto erotico menage com amigo e a mae deleContos eroticos gay estipradoContos eroticos rabuda 120 cmconto gay viciei na rola do negÃominha mulher se exibiu pra várioscontos eroticos de de me tinhas conquistando os avós incestocontos eroticos sadomasoquismo inicio da minha vida de cadelacontos eróticos boquete com o marido em casafilme aconzinha pornContos eroticos curtos com detalhes por detalhes falas e falas eu era uma menina virge de 12aninhos e um tarado me comexanimhacomi minha cunhadinha magra alto focinho preto na cozinha internetdando uns amasso na minha sublinha e acabei gozando nas pernas delacontos meire me dominaContos eroticos enteado gaymeu padrasto meu donoConto erotico inversao com travestreal conto cunhadocontos de sexo chupadasconto erotico cuidando das amiguinhas da minha irma viiconto marido do ladoContos eroticos cu ardidoContos eroticos mae e filhos numa festa peladoscontos eroticos primeira gozadaMinha esposa deu a xoxota pra um mendingocontoseroticos irmoes e irmã no assaltoRelatos sexuais me encoxando na cozinha e o corno na salacontos eroticos aiii chupa cona aiii aiiii jogo de puta buçetada